quinta-feira, 24 de Abril de 2014, 9:54
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
Anulada condenação de Saramago ao pagamento de 717 mil euros de impostos

28 de Abril, 2012
O Tribunal Supremo espanhol anulou uma sentença de 2010 que condenava o escritor português José Saramago a pagar 717.651 euros em impostos, considerando que foram excedidos prazos para a fiscalização da actividade contributiva do autor, noticiou a agência Efe.

Em Abril de 2010, dois meses antes de morrer, José Saramago foi condenado por um tribunal superior espanhol a pagar ao Tesouro de Espanha impostos relativos aos anos fiscais entre 1997 e 2000, no valor de 717.651 euros.

Na altura, a justiça espanhola considerou que o escritor tinha residência permanente em Espanha, no município de Tias (Lanzarote) e, portanto, devia prestar contas ao tesouro espanhol e não ao português.

O advogado do escritor, Andrés Sanchez, anunciou em 2010 que iria recorrer da sentença para o Tribunal Supremo, defendendo, em declarações à agência Lusa, que «o centro de interesses vitais e económicos de Saramago» era em Portugal, «onde sempre apresentou as suas declarações fiscais».

Agora o Tribunal Supremo de Espanha anulou a sentença de condenação do Nobel da Literatura, entendendo que as finanças «superaram claramente» o prazo máximo de doze meses para o processamento das actividades inspectoras.

De acordo com a agência noticiosa espanhola Efe, o Supremo Tribunal afirmou que José Saramago «teve uma atitude claramente obstrutiva», mas essa não foi a única razão para a demora das finanças em actuar.

Lusa/SOL




15 Comentários
BARBACENA
30.04.2012 - 10:58
Manuel Rocha Rocha
29.04.2012 - 18:48

Boa! estamos juntos caro comentador - também acho o Saramelhas um labrego, mesmo no sono dos anjinhos.
Quetzal
29.04.2012 - 23:07
Teve uma atitude obstrutiva....Pudera ,Estava mortinho por pagar impostos!Alias como todos nós!Só que se for de esquerda é um gajo esperto ,se fosse da direita era um gatuno!
icebreaker
29.04.2012 - 19:44
este Saramerdas de Sousa, além de batoteiro também era caloteiro.. (para além do passado caceteiro, de caça jornalistas)..

com tanto escritor medíocre a escrever melhor que esta encomenda e ainda se fazem vénias ao ícone vermelho da literatura.. um latifundiário editorial que se dizia espanhol, mas afinal era português para efeitos fiscais ou para receber prémios, embora se recusasse a assumir a sua nacionalidade pois achava que Portugal deveria pertencer a Espanha.. que salsada!..

e desperdiça-se dinheiro em mais uma Fundição, com oferta da Casa dos Bicos para gaudio e satisfação da Pilarcita, que assim pode ter uma reforma dourada a dizer barbaridades.. enquanto vive à conta do Estado português e do perdão Espanhol.. olé!..

numa terra que ignora Fernando Pessoa..
é isto o exemplo dum verdadeiro português?..
de quem um cidadão nacional se possa orgulhar!..

menos que 700 mil euros, tinham muitos empresários que foram expropriados pelos camaradas deste latifundiário.. que só em impostos que não pagou, lucrou mais que isso.. e ainda tinha a lata de se dizer comunista!..
Manuel Rocha Rocha
29.04.2012 - 18:48
BARBACENA...

Que grande labrego eheheh
BARBACENA
29.04.2012 - 15:55
Cala-te Kaufman, nem escrever sabes. És mais um tolo iludido com esse mestre saramelhas da treta.
Antonyjunior
29.04.2012 - 15:55
parasol
29.04.2012 - 08:31

É uma pena...você tem o cérebro no intestino grosso, bem juntinho ao bujão...!

O simples acto de você existir, há muito deixou de admirar alguns...e por muito que se tente melhorar a sua condição, o seu extracto é sempre um poio de m.erda.

Mude a farda...o cheirete é igual ó esperta do c.aralho.
Kaufman
29.04.2012 - 14:43
Barbacena, só escreves é esterco!!!!
Kaufman
29.04.2012 - 14:43
Barbacena, só escreves é m****!!!!
BARBACENA
29.04.2012 - 13:59
O Saramelhas mesmo a dormir com os anjinhos continua a aldrabar meio-mundo.

Este Saramelhas foi um mestre! E melhor que o gajo parece ser a rapariga dele - a tal PIlar de Castela.


Só o monhé Costa é que foi um tipo honesto quando sem que nada o aconselhasse a isso, deu a Casa dos Bicos (símbolo da gesta e da épica portuguesa) a esta parelha de mestres no golpe.
quijote
29.04.2012 - 10:34
Serve de exemplo a casos semelhantes, é melhor ir viver para Espanha e pagar lá impostos.
redblade
29.04.2012 - 09:05
Safaram a Pilar,que jogou forte e ganhou.
parasol
29.04.2012 - 08:31
Antonyjunior
28.04.2012 - 23:53 Esses caloteiros de que falas existem na tua imaginação fertil ou são bonecos que fizeste com o estrume da pocilga em que vives?
Antonyjunior
28.04.2012 - 23:53
Não chegava ter caloteiros em França...também os tivemos em Espanha!

Por obra e graça do Espirito Santo, a esquerdalha é assim...alguns muito cultos até ocultam os calotes!
A MPortugal é dessa estirpe, é preferivel ser caloteira que não ter cultura!
Politicamente está na área dela...com os caloteiros do regime...
frasco
28.04.2012 - 21:31
Daa-se! Este comuna analfabeto até no tumulo tem sorte!`´E claro que a massa fica em Espanha para uma espanhola: A putefia Pilar
MPortugal
28.04.2012 - 21:08
A Espanha sempre demonstrou mais respeito e consideração por Saramago que Portugal (salvo honrosas excepções). Mais consideração por Portugal e por outros intelectuais portugueses, de quem em Portugal nem se fala, mas de que o El País fala, como Gonçalo M. Amaral, por exemplo. Não é só o deficit das finanças que conta, o deficit cultural também é muito importante.


PUB
PUB
Siga-nos
CD Carríssimas Canções de Sérgio Godinho
Assinaturas - Revista FEEL IT (PT)
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt