quinta-feira, 24 de Abril de 2014, 17:09
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
Espanhóis vão explorar minerais no Chade

28 de Março, 2012
O governo do Chade e a empresa mineira SP Mining assinaram hoje um acordo que adjudica a esta concessões para explorar 130.000 quilómetros quadrados ricos em minerais, noticia a Efe.

Os principais accionistas da empresa são os espanhóis Farshad Zandi, de origem iraniana, e Alberto Cortina.

A área é similar à da Grécia e é rica em ouro, zinco, cobre e diamantes, entre outros minerais, e já conta com mineiros artesanais, que produzem quantidades importantes destes recursos.

A filial SP Mining Chade terá direitos de exploração do Maciço Central do país e das regiões de Monte Lam e Dar Sila.

A SP Mining vai elaborar um mapa de recursos minerais do resto do país, cuja área é de quase 1,3 milhões de quilómetros quadrados, que colocará à disposição do governo do Chade e implicará um investimento de 20 milhões de dólares (15 milhões de euros).

Em compensação, a SP Mining poderá obter a concessão e exploração de mais 70.000 quilómetros quadrados à sua escolha.

O acordo dá ainda à SP Mining «o direito de preferência na criação de consórcios com terceiros», adiantou à agência noticiosa o accionista maioritário e presidente da empresa, Farshad Zandi, que realçou o facto de ter agora à sua disposição uma área para pesquisa que é quase «três vezes a de Espanha».

Em contrapartida, a SP Mining comprometeu-se a investir no desenvolvimento mineiro do Chade, a contratar chadianos e a formá-los na Universidade austríaca de Graz, onde vão ser analisados os dados recolhidos na fase de exploração.

A intenção da SP Mining é explorar as jazidas em consórcio «com as principais mineiras especializadas em cada um dos minerais», se bem que o governo do Chade se tenha reservado o direito de vetar firmas escolhidas.

A SP Mining, que opera no Sudão e na Guiné-Bissau, tem a intenção de utilizar a mesma fórmula nestes dois países, onde já está em conversações para criar consórcios de exploração mineira.

As concessões no Chade, com as do Sudão e da Guiné-Bissau, «vão converter a SP Mining numa das maiores empresas do mundo em exploração mineira e com recursos de valor incalculável», considerou a entidade, em comunicado.

O Sudão e o Chade «são os países mais desejados pelas empresas mineiras internacionais, dadas as suas imensas reservas por explorar».

Na região sudanesa de Gadareef, acrescenta-se no comunicado, a SP Mining descobriu recentemente «uma das maiores reservas de ouro» de África.

A empresa está a desenvolver contactos com a República Democrática do Congo, o Quénia, a Guiné-Conakry, a Guiné Equatorial e a Serra Leoa, para a exploração dos respectivos recursos mineiros.

Lusa/SOL




0 Comentários


PUB
PUB
Siga-nos
CD Carríssimas Canções de Sérgio Godinho
Assinaturas - Revista FEEL IT (PT)
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt