quarta-feira, 16 de Abril de 2014, 11:11
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
Arménio Carlos: Água não é privatizável

14 de Fevereiro, 2013
O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, defendeu hoje que a água não é privatizável, porque é um bem público, e desafiou a população de Portugal a repudiar "a onda privatizadora" dos serviços públicos.

"A água é um bem público, não é privatizável. Nem a água nem as empresas que prestam esse serviço à população", disse o sindicalista aos jornalistas no final de um plenário dos trabalhadores do grupo Águas de Portugal.

Arménio Carlos considerou que compete ao Estado prestar o serviço de abastecimento de água e referiu o exemplo de outros países onde se optou por privativar a água, resultando na degradação da qualidade do serviço prestado e no aumento do seu preço.

"É preciso que a população se levante e diga não a esta onda privatizadora", disse.

Os trabalhadores das empresas do grupo Águas de Portugal reuniram-se em plenário junto à sede do grupo, em Entrecampos, para discutir a situação laboral de cada uma das empresas, queixando-se de violações aos respectivos Acordos de Empresa e Convenções Colectivas.

Arménio Carlos solidarizou-se com a luta destes trabalhadores e criticou o Governo "por pôr em causa a negociação livremente estabelecida", impondo cortes salariais e no valor do trabalho extraordinário.

O plenário serviu também para mobilizar os trabalhadores para participarem na jornada de luta que a CGTP tem marcada para sábado.

"Enquanto este Governo durar não teremos perspectivas de futuro e quanto mais depressa este governo se for embora mais perspectivas teremos de futuro, por isso lá estaremos sábado em 24 cidades do país para dizer que vale a pena lutar", disse o líder da CGTP.

O sindicalista acusou o Governo de se ter tornado no "coveiro do país" e responsabilizou-o "pelo sofrimento, angustia, incerteza e insegurança que afecta a maioria das famílias portuguesas".

"Ficar em casa é tornarmo-nos cúmplices desta política. Sair à rua é dar contributos para que estas políticas terminem o mais depressa possível e sejam encontradas soluções para o país", defendeu.

Os trabalhadores do grupo Aguas de Portugal aprovaram uma resolução, que entregaram na sede do grupo, onde rejeitavam os cortes salariais e as privatizações e exigiam a reposição da legalidade.

Lusa/SOL




13 Comentários
esteves
17.02.2013 - 15:32
Vejam os preçários da Vimagua, em Guimarães, os socialistas da camara deram a exploração das águas a privados e simultaneamente aprovaram taxas exorbitantes, ligar o saneamento pode passar os 2.000 euros...O caso de Barcelos é outro, o ex presidente da camara vai responder em tribunal por gestão danosa...Em Guimarães o povo recusa-se a ligar o saneamento aos preços que lhe são impostos de forma que mais parece um saque...Também aqui devia haver uma investigação, é provável que o interessa publico em Guimarães também tenha sido lesado... O povo está a saque dos interesses especulativos que agora querem também especular com a água, logo mais será o ar que respiramos...
vendap
17.02.2013 - 02:38
DownWithNewWorldOrder 16.02.2013 - 17:26

Ai não vai, não! pouco importa o que tenham escrito.
A água não é para privatizar.
DownWithNewWorldOrder
16.02.2013 - 17:26
Será privatizada pois está escrito no CAS que assim será, aliás é logo o primeiro ponto do documento, água, luz e gás. Não te iludas quanto a isso.
vendap
16.02.2013 - 01:09
quijote 14.02.2013 - 21:59

Os comunistas são a reserva moral desta choldra chamada Portugal.
vendap
16.02.2013 - 01:08
DownWithNewWorldOrder 14.02.2013 - 19:33

Não vai, não. Nem pense que as águas serão algum dia privatizadas. Há uma linha vermelha nas privatizações e ela está nas águas. Passar essa linha vermelha significa o supremo sacrifício para quem o tentar.
indianajaime
15.02.2013 - 21:22
Vem a talhe de foice o título desta notícia para os que idolatram a gestão privada: "Conforlimpa usava indigentes em empresas de fachada". Quer-me parecer que a ganância pelo lucro é incompatível com a ética e com o serviço público. Depois digam-me coisas...
indianajaime
15.02.2013 - 21:18
O que é que a consideração da água ser um bem público tem a ver com o ser-se comunista ou anticomunista? Acho que é uma questão de bom senso. Até porque há muitas experiências de privatizações que correram mal lá fora. Por outro lado não sei por que razão um sociopata como o Ulrich seria mais capaz de gerir as águas do que um ambientalista que tem consciência de que esta é um recurso demasiado precioso para ser desbaratado em função do lucro do grupo A ou B.
Parece-me óbvio que o Estado não deve deter fábricas de móveis ou de clips, mas a água? Como é que a entidade que nos representa a todos, o Estado, se pode alhear do que é de todos, a água?Onde é que têm a cabeça?
OrdensDoMedico
15.02.2013 - 13:49
A maneira como a classe política governa Portugal NÃO É NORMAL

Ao longo de mais 2 décadas, transformou o Estado numa máquina de saquear os cidadãos. É POIS HORA DE LUTAR:
http://www.facebook.com/events/226642520804441/

CERCO AO PARLAMENTO: a partir de 2 de Março
pela QUEDA DA PARTIDOCRACIA, por um NOVO SISTEMA POLÍTICO com ELEIÇÃO DIRETA DOS DEPUTADOS:
http://www.youtube.com/watch?v=dq5qdBFqMEQ
Hipocrathus
15.02.2013 - 09:31
É com estes fundamentalismos que aqui se escrevem que o país vai a votos. Foi com estes fundamentalismos que aqui escrevem que o país chegou a este estado. Tão fundamentalistas são que nem se dignam sequer ouvir. Todos os partidos politicos querem a mesma coisa para o seu povo e país, - prosperidade e bem estar. A maneira de lá chegar é que é diferente. Quando se encara o futuro de um país como se de um clube de futebol se tratasse então meus amigos, temos de dar os parabéns ao nosso Ensino, à nossa Sociedade, à nossa Cultura. Estão realmente a contribuir para a formação de pessoas tolerantes e com espirito crítico suficiente para tomar opções de vida conscientes das suas consequências.
Nem tudo o que o "Capitalismo" trás é mau e proteger a dignidade e o respeito pelas pessoas e pelo mundo em geral que o "Comunismo" defende também não. Mas, se ainda não repararam, os economistas dizem que as crises são ciclicas. São ciclicas porque o sistema funciona pelo principio da "Bolha". O "Capitalismo" precisa das crises para sobreviver. Todos os anos é injectado no sistema riqueza que não existe só no papel. Alguns vão enriquecendo, enriquecendo e no final quem paga são sempre os mesmos.
A todos aqueles cujo espirito critico ficou no jardim-escola aconselho o livro "A formação da mentalidade submissa". Bem hajam.
delopes
15.02.2013 - 09:28
Já está em marcha mais uns anelitos para o governo vender, desta será a agua, o povito que saia a rua a Maria da Fonte não tinha Arménios atrás), ponha estes Arménios a andar, não precisa deles para o efeito, e toca a reclamar, a agua vai ter para o consumidor o mesmo tratamento que teve a gasolina, se aumenta será da seca senão será da conjuntura ou outra coisa do género, mas será sempre aumentada para mais, os cêntimos a menos numca vão compensar.
Antonyjunior
15.02.2013 - 01:42
Esta bosta esquerdalha não diz que as Águas de Portugal está afundada em calotes...
É do Estado e como tal, só dá prejuízo!
Dá prejuízo porque em vez de ter bons gerentes, tem bons amigos e compadres do patrão...que até os promovem apesar dos prejuízos.

Esta esquerdalha de m.erda e mafiosa diz que a Água é bem público e que deve ser paga por TODOS...mas quem recebe os altos ordenados da má gerência são os kamaradas deste Arménio!

Mais uma vez, este esquerdalha, protege os barões, coronéis e filhos da p.uta como ele...ladrões!
quijote
14.02.2013 - 21:59
O melhor é o camarada Arsenico pendurar-se numa figueira. Todos os comunistas são traidores, a sua pátria já não existe, era a defunta URSS.
DownWithNewWorldOrder
14.02.2013 - 19:33
Não é, mas vai ser, com os cumprimentos da EUSR. Vai ser a nossa e todas as companhias das águas por essa Europa fora que falta privatizar.


PUB
PUB
Siga-nos
CD Carríssimas Canções de Sérgio Godinho
Assinaturas - Revista FEEL IT (PT)
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt