quinta-feira, 24 de Abril de 2014, 17:10
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
PSD vai honrar obrigações assumidas pelo actual Governo

19 de Abril, 2011
O vice-presidente social-democrata, Diogo Leite de Campos, disse hoje que um futuro Governo PSD cumprirá os compromissos assumidos pelo Executivo actual e considerou o plano de resgate português como uma conta que o Governo socialista deixa para Portugal pagar.

actual Governo», disse Leite de Campos, em declarações aos jornalistas, à margem de uma conferência sobre O Projeto Social da Empresa e os Benefícios Sociais.

Na conferência, Leite de Campos, que é também advogado fiscalista, afirmou que «um Estado bem organizado dá para todos» e que, caso se consiga «cortar os benefícios fiscais disparatados, que representam uma gestão danosa», será possível diminuir a despesa, aumentar a receita e diminuir a carga fiscal.

Leite de Campos considerou ainda que «o programa do Fundo Monetário Internacional (FMI) é uma conta apresentada por este Governo aos portuguese, que poderá levar o Executivo socialista a aumentar os impostos.

«Esperamos que, se este Governo acordar com o FMI o aumento de impostos, que sejam sobre os mais ricos, e não sobre os mais pobres», adiantou o vice-presidente do PSD.

A troika composta pelo Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e Comissão Europeia iniciou na segunda-feira as negociações com os responsáveis portugueses para delinear um plano de ajuda financeira a Portugal, após o pedido feito pelo primeiro-ministro demissionário, José Sócrates, a 6 de Abril.

Na conferência, Diogo Leite de Campos defendeu ser necessário que o Estado determine «quem tem necessidades efectivas, reais, para cobrir necessidades que são publicamente relevantes» e satisfazer essas pessoas, mas não a toda a gente.

«Assim poupa-se dinheiro, por um lado, com os que não precisam de benefícios, e beneficiam-se ainda mais aqueles que realmente necessitam», afirmou.

«A actual carga fiscal portuguesa, derivada do desvario do Estado, diminui a nossa competitividade (…) Para a diminuir, é preciso gastar o que é necessário, com o que é necessário», acrescentou.

Lusa/SOL

Tags: FMI, PSD, PS, Política



7 Comentários
AJPC
20.04.2011 - 09:48
AQUI ESTÁ O IMBECIL QUE CHAMOU DE ALDRABÕES AOS PORTUGUESES. ESTE LATEIRO É UM ARROGANTE FASCISTA E, UM CAMELO QUE SÓ OLHA PARA O SEU UMBIGO.
AJPC
20.04.2011 - 09:47
AQUI ESTÁ O IMBECIL QUE CHAMOU DE ALDRABÕES AOS PORTUGUESES. ESTE LATEIRO NÃO DE UM ARROGANTE FASCISTA E, DE UM CAMELO QUE SÓ OLHA PARA O SEU UMBIGO.
paulopires68f
19.04.2011 - 21:02
Mentiroso!
Vocês nem conseguem honrar uma decisão expressa em votos do povo Português.
Tadeu
19.04.2011 - 20:34
Claro está, mas já agora seria importante dar ouvidos ao grupo lidrado por António Barreto e Lobo Xavier, há de certeza matéria a ser aplicada, contudo já se sabe que com o PS curvado ao Sócrates - nada feito.
parasol
19.04.2011 - 19:12
BIAFRA
19.04.2011 - 18:35 E o Pacheco Pereira "explicar" o que este gajo "quis" dizer.
BIAFRA
19.04.2011 - 18:35
Lá terá que vir logo o Miguel Relvas pintar o quadro com cores mais alegres....
parasol
19.04.2011 - 18:27
O Estado dá para todos! Já sabe onde está o pote?


PUB
PUB
Siga-nos
CD Carríssimas Canções de Sérgio Godinho
Assinaturas - Revista FEEL IT (PT)
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt