quinta-feira, 17 de Abril de 2014, 10:35
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
'Fim da tolerância de ponto é um erro crasso', António Capucho

4 de Fevereiro, 2012
O social-democrata e antigo conselheiro de Estado, António Capucho, considerou hoje um «erro crasso» a decisão do Governo de não atribuir tolerância de ponto no Carnaval.

«É um erro crasso» não atribuir tolerância de ponto no Carnaval, afirmou à Lusa António Capucho.

«Os nossos governantes também têm de ter a noção que, depois de cortarem quatro feriados, impedirem que as pessoas tenham um dia por ano para manifestarem a sua alegria, a sua descontracção, é disparatado. Sinceramente, acho disparatado», acrescentou o ex-presidente da Câmara Municipal de Cascais.

António Capucho disse que a não atribuição de tolerância de ponto, anunciada na sexta-feira pelo primeiro-ministro, «vai diminuir o número de presenças e de participação pública» nos festejos de Carnaval, o que terá “graves prejuízos para as economias locais».

«Como se sabe, quer o comércio, quer a restauração, quer outro tipo de actividade económica, beneficiam destes eventos», justificou.

António Capucho salientou ainda não ter qualquer «simpatia» pelo Carnaval, referindo que durante os dez anos que esteve à frente da Câmara Municipal de Cascais, nunca incentivou nem organizou festejos.

O primeiro-ministro anunciou na sexta-feira à noite que o Governo não dará tolerância de ponto aos funcionários públicos no Carnaval, argumentando que «ninguém perceberia» que tal acontecesse numa altura em que o Executivo se propõe acabar com feriados.

Em 1993, o então primeiro-ministro Cavaco Silva decretou que a terça-feira de Carnaval nesse ano não daria direito a tolerância de ponto, o que sucedeu pela primeira vez em 23 anos. Nesse dia, os deputados do PSD compareceram em massa à Assembleia da República mas foram os únicos a aparecer.

Lusa / SOL




57 Comentários
parasol
06.02.2012 - 14:05
veritatis
06.02.2012 - 12:46 Caro aldrabão: que pais (basta um) não festeja o carnaval ou algo parecido?
parasol
06.02.2012 - 14:04
veritatis
06.02.2012 - 12:46 Caro aldrabão: que pais (basta um) não festeja o carnavala ou algo parecido?
veritatis
06.02.2012 - 12:46
Só os países atrasados, em regra católicos, ainda têm estas festividades pagãs, com gatos dentro de pucaros com chama até arder a corda, e similares.
Nenhum país civilizado tem carnavais, e no caso português o Governo tem toda a razão. Antecipem ou adiem para o fim de samana e mostrem quanto somos medievais......
antoniopestana
06.02.2012 - 11:36
Maior erro crasso é sobrepôr os interesses do partido aos do país.
Se é mau para o partido o fim da tolerãncia de ponto.Além de um bom exemplo,é uma questão de justiça e equidade entre os sectores público e privado para o país.
quem
06.02.2012 - 03:42
Este Capuchinho está cheio de razão.

Toda a gente sabe que é com tolerâncias de ponto que o País anda para a frente.

Isso e aumentar os salários dos funcionários públicos, que é para estimular o consumo, como diria Keynes.

O consumo de produtos chineses, alemães, etc.

Até os fatos de Carnaval são feitos na China, kahralho!

Só este gajo é que não percebe!
Antonyjunior
05.02.2012 - 23:35
Cala a boca baptista. Ninguém tem por aí uma esfregona?
grunlion
05.02.2012 - 23:02
mundonovo50
05.02.2012 - 14:34

As leis não servem de nada, quando produzem resultados injustos. E incompreensíveis para todos.
Mais importante que a letra da lei é a lei do bom senso.

É por excesso de levar a lei à letra que surgem sentenças que são autênticas aberrações.

Lembro o caso do médico psicólogo, que viola a paciente grávida e fragilizada psicologicamente e que foi absolvido, por não ter usado muita violência (na opinião dos juízes....).
quijote
05.02.2012 - 21:08
O Seguro é um pateta.
É preciso ir buscar o engenheiro a Paris.
Eduardo Abreu
05.02.2012 - 20:16
Concordo com o António Capucho. Era mais fácil mexer nos sábados, que não têm significado simbólico ou religioso. Quando comecei a trabalhar, era todos os sábados de manhã. Acabar com celebrações que são importantes para as pessoas torna-se complicado.
veritatis
05.02.2012 - 18:27
Estava cansado da Câmara como os PJs que aparecem nas tvs, mas para mandar bocas estão optimos....
veritatis
05.02.2012 - 18:25
Um erro crasso foi o PS ter escolhido um individuo que nunca fez nada e que nada sabe fazer a não ser dizer disparates. Quanto tempo demorará o PS a ver a patetice em que caiu?....
fundamentalista00
05.02.2012 - 15:15
o que paga as ferias é o trabalho mas por vezes parece que é o contrario.

os feriados sao abominações criadas para entreter os trabalhadores.

pois o verdadeiro feriado é trabalhar o mesmo e receber mais por isso.
mundonovo50
05.02.2012 - 14:34

grunlion
05.02.2012 - 09:07

se o seu pensamento for levado às ultimas consequências o estado poderia confiscar.nos as nossa casa, as nossa terras e até as nossa dispensas, num estado de direito a Lei é para respeitar se assim não for entramos numa espécie de far west
icebreaker
05.02.2012 - 13:36
se acabar com as "borlas" é um "erro crasso", continuar com elas é um "erro gordo", o que vai dar no mesmo...

deixa lá vir os "chinokas" que logo põem de folga o ano inteiro quem não quiser ganhar dinheiro a trabalhar..

de folga em folga até ao desemprego total!.. se uma folga a menos é mau, talvez o desemprego final já seja bom!.. quem pensar assim pode ser que esteja a cometer um erro "graxo"..
Elabrador
05.02.2012 - 12:58
Capucho, nem merece comentário, de tão anedótica a sua intervenção... Não há paciência para estes politicos.
zecastro
05.02.2012 - 11:39
Tanta ignorância há em Portugal para se dar ouvidos a parvos. Nós não podemos fazer as dividas e depois criticar ou outros por não quererem ser nossos fiadores ou pagá-las. Temos é que estar contra quem fez a dívida gigantesca para roubar e depositar na offshore das Cayman e consumir estupidamente na compra de votos baratos e alimentar os camaradas influentes. Enquanto dermos ouvidos a Louçãs, Jerónimos , Sócrates, Seguros, Jardins…. Estamos tramados nem os nossos netos vão estar livres da dívida nem deste tipo de exploradores.
fom
05.02.2012 - 11:34
Capucho, homem inteligente e sério, conseguiu o mais dificil.
Deixar a Câmara de Cascais como a encontrou:um local insalubre!
Jalopes
05.02.2012 - 11:20
Este senhor estava muito cansado na Câmara de que era presidente. Queria ser Presidente na Assembleia da República. Não lhe ligaram. Agora por tudo e por nada contraria as posições do Governo. Estará ressabiado?
Bonito era dizer que é preciso trabalhar mais. Também quer festa…
unicornio
05.02.2012 - 10:20
Os nossos governantes também têm de ter a noção que, depois de cortarem quatro feriados, impedirem que as pessoas tenham um dia por ano para manifestarem a sua alegria, a sua descontracção, é disparatado. Sinceramente, acho disparatado», acrescentou o ex-presidente da Câmara Municipal de Cascais.

O agora ex qualquer coisa como não conseguiu um ser senhor qualquer coisa, atira que as pessoas coitadinhas não tem um dia para manifestarem a sua alegria, a sua descontracção,«diz é disparato»

POIS eu penso sr barrete (capucho) que foi precisamente o que se andou a fazer durante anos e anos em demasia a sua alegria, a sua descontracção a ponto de nos obrigar a comer fiado.
TENHA VERGONHA SR barrete.

AJPC
05.02.2012 - 09:26
Kum karalho, tantos trabalhadores, e de certeza que são os que trabalham de pá e picareta.

O dês)governo do Troika Passos, Mau Tsé-Tung, está com sorte.



PUB
PUB
Siga-nos
CD Carríssimas Canções de Sérgio Godinho
Assinaturas - Revista FEEL IT (PT)
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt