quarta-feira, 23 de Abril de 2014, 20:33
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
CDS: Disciplina de voto é assunto da bancada

31 de Março, 2012
O Conselho Nacional do CDS-PP remeteu hoje para o grupo parlamentar a gestão do caso de violação da disciplina de voto pelo deputado Ribeiro e Castro que, na sexta-feira-feira, votou contra as alterações ao Código de Trabalho.

O presidente do partido, Paulo Portas, disse no final dos trabalhos que a questão do voto contra de Ribeiro e Castro "foi discutida com muita liberdade", mas que será "remetida para o grupo parlamentar".

O mesmo órgão do partido aprovou hoje em Leiria, com 131 fotos a favor e 4 abstenções, uma moção em que "reafirma a sua confiança na liderança parlamentar e no trabalho dos deputados", destacou Paulo Portas.

O líder do partido sublinhou ainda que "a coesão na votação das matérias das leis laborais" são "muito importantes para aprovar reformas estruturais" e "para pormos a nossa economia a crescer e a criar emprego".

Ribeiro e Castro, ex-líder do CDS-PP, atual deputado e presidente da Comissão da Educação, Ciência e Cultura da Assembleia da República, no final do Conselho Nacional disse aos jornalistas que voltaria a votar contra o Código do Trabalho, porque é indispensável preservar o 01 de dezembro, o feriado da independência nacional [Dia da Restauração da Independência]".

Confrontado com as declarações do líder do grupo parlamentar do CDS-PP, que desafiara na sexta-feira Ribeiro e Castro a retirar as consequências políticas do seu ato, o deputado afirmou que já tinha refletido e tirado as devidas ilações.

"Tenho que votar de acordo com a minha consciência", sustentou, acrescentando que é uma pessoa "que aceita sempre as consequências do que faz".

Paulo Portas, poucos minutos depois, lembrou que o feriado de 01 de dezembro "não é infelizmente celebrado pelas instituições" e "não há nada mais patriótico do que cada um de nós dar o seu contributo para reaver a independência económica do país".

Após a reunião, que começou às 09:00 de sexta-feira e terminou depois das 03:00 da madrugada de sábado, o conselheiro nacional Conçalo Moita disse aos jornalistas que "hoje acabou um CDS e começou um outro".

Gonçalo Moita lamentou a derrota expressiva da proposta apresentada no decorrer do Conselho Nacional e que pretendia pôr cobro à liberdade de voto em matérias consideradas fraturantes, como a adoção por casais do mesmo sexo e a procriação medicamente assistida.

A proposta teve 118 votos contra, sete abstenções e dez a favor, não conseguindo sequer assegurar os votos dos 12 conselheiros nacionais do CDS-PP, que escreveram ao presidente do Conselho Nacional, António Pires de Lima, e que estiveram na base da moção.

No Conselho Nacional do CDS-PP também ficou determinado que grupo parlamentar deve rever o seu regulamento interno de forma a clarificar os conceitos de disciplina, orientação e liberdade de voto de cada um dos deputados.

Lusa / SOL




5 Comentários
ABA
31.03.2012 - 17:16
Este ribeiro e castro é filho de um ministro salazarista e, como tal, não pode disfarçar muito e foi para o CDS. O PSD é outro refúgio deles e lá está o marcello...Na verdade, como esta democracia é uma choldra cheia de corruptos, não consegue pensar que o 1º. de Dezembro não tem qualquer significado quando integramos uma comunidade juntamente com os 'inimigos' espanhóis com os quais sempre deveriamos ter estado ligados dada a nossa crónica miséria. Mas salazar fomentou o ódio entre os povos e o franco fez o mesmo. Esta gentalha política, em vez de fomentarem a unidade, fomenttam o ódio e a pseudoindependência. Camões ecreveu em castelhano juntamente com todos os autores da época.....
Viva esta indpendência miserável que nos faz passar fome, atraso, clericalismo, corrupção, emigração e miséria!
cristinamrp
31.03.2012 - 15:56
pontadesquerda, não seja assim. Só revela que é igual ao Quijote no extremo oposto. Aliás, eu acho que a Direita e a Esquerda comunista do BE e do PCP se compreendem muito bem. Com a diferença que a Direita dispensaria a Esquerda, enquanto para a Extrema-Esquerda a Direita é vital. Viva a injustiça social e o agravamento das condições de vida, a Esquerda agradece à Direita que a mesma arranje pasto para a Esquerda poder crescer.
Bravo Ribeiro e Castro por ter a coragem de ir contra a corrente.
Calhabe1968
31.03.2012 - 14:20
tratorderasto

É não ser auto-suficiente.
pontaesquerda
31.03.2012 - 13:50
pois...

...he!...he!...

...se isto fosse no pcp!...he!...he!...

...obviamente no cds...o querido lider querido e os lambe botas que comem do tacho...

...vão ter que engolir este narcisista hipocrita!...
tratorderasto
31.03.2012 - 13:32
Não é de admirar,ser benfiquista é ter na alma a chama eterna da estupidez.


PUB
PUB
Siga-nos
CD Carríssimas Canções de Sérgio Godinho
Assinaturas - Revista FEEL IT (PT)
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt