quinta-feira, 24 de Abril de 2014, 17:09
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
Portas quer evitar crise política

15 de Setembro, 2012
O vice-presidente do CDS-PP Nuno Melo afirmou hoje que o líder do partido, Paulo Portas, "teve conhecimento" da medida de redução da TSU, discordou dela e apresentou alternativas, mas "não quis abrir uma crise política".

"O que é importante para nós no CDS que hoje ouvimos o presidente do partido é saber que o presidente do partido teve conhecimento da medida, discordou da medida, apresentou as razões da sua divergência, propôs alternativas, mas não quis, e bem, abrir uma crise política, assegurando a coesão de que Portugal precisa para atravessar um momento que é de verdadeira emergência nacional", disse Nuno Melo aos jornalistas.

O vice-presidente democrata-cristão fez aos jornalistas um ponto da situação da reunião do conselho nacional do CDS-PP, que decorre desde as 17:00, no Porto.

Paulo Portas falará no domingo, às 12:00.

Confrontado com o facto de o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, ter dito, na entrevista à RTP, que o ministro do CDS Pedro Mota Soares esteve envolvido na preparação da medida da Taxa Social Única (TSU), Nuno Melo não quis comentar.

"O CDS tem presente que a consequência para uma rutura de uma coligação ou para a abertura de uma crise política seria dramática para o país e não é na verdade intenção do CDS abrir uma crise política", afirmou.

Nuno Melo declarou o "compromisso do CDS, até à conclusão do processo orçamental, em trabalhar para apresentar alternativas" às medidas já anunciadas e "até à conclusão deste processo orçamental encarar aquilo que foi anunciado como algo que não está encerrado".

Pelo contrário, defendeu um "trabalho político, parlamentar, legislativo, do Governo" e com o "empenho" do CDS para que "muito possa ser alterado".

O vice-presidente democrata-cristão afirmou que, ao contrário do PS, o CDS quando tem que escolher entre o partido e o país, escolhe o país e desvalorizou as divergências na coligação.

"Uma coligação não é uma fusão", defendeu, considerando que "não vem mal ao mundo o facto de o CDS divergir e até que as pessoas percebam que o CDS divergiu".

"A consequência de um partido que diverge não tem que ser a rutura e o CDS não optou pela rutura. A coligação está coesa e o CDS, assegurando essa coesão, dará também o seu empenho para que tudo possa melhorar", declarou.

Lusa / SOL




22 Comentários
Marocassemares
17.09.2012 - 12:22
Evitar o que está instalado é complicado!
Pede à Cristas que ajoelhe e reze... Talvez faça um milagre a beata! Mas isto não vai lá com rezas... agora só a Vara Pau... Guerra Civil e depois Renasçer das Cinzas!
LuaLuar1
16.09.2012 - 12:15
Portugueses!!!!!!!Mais que Patriotismo SERODIO de Paulo Portas o que o Povo MILENAR Precisa e de VERDADE de ORGULHO E DE RESPEITO, DESEJOS QUE ONTEM dia 15 de SETEMBRO 2012 Dia do POETA BOCAGE , ECOU POR TODO O PORTUGAL CONTINEMTAL E REGIOES Autonomas
maameGUI9
16.09.2012 - 12:11
Agarrados como lapa ao tacho dos ministérios falam de evitar uma crise política. Mas em crise política vivemos nós, quando o povo se levanta em massa contra um governo que perdeu a legitimidade para governar. De modo que se persiste em governar contra o povo o mais certo será suscitarem formas cada vez mais violentas de luta.
esteves
16.09.2012 - 10:08
Estes pândegos lunáticos e incompetentes além de arruinarem o pais vão dá-lo de bandeja a Sócrates... Criaram as condições todas para Sócrates ser recebido como Herói e levado aos ombros para S. Bento…Logo que volte a Portugal...Parece que o Paulinho este governo chegou ao fim da linha, a opção do CDS é afundar com ele, apoiando os incompetentes da TSU até ao ultimo folgo...O PSD sobrevive pois estes rapazes são lhe marginais, isso ficou bem claro na reação de todos os históricos que vieram a lume, já o CDS é Paulo Portas afundando-se este desgoverno o CDS afunda-se também…Não há patriotismo que o salve…Paulo caiu na sua armadilha e agora quanto mais mexer mais se afunda…Por isso não tem pressa em falar, afunda-se mais devagar, à velocidade com que a TSU destruiu o governo, ou melhor a pouca quase nenhuma credibilidade que ainda podia ter
GALAICOLUSITANO
16.09.2012 - 10:00
este é que é o salvador do país e vai pagar os calotes dos f16, submarinos e carros de combate pandur. maldição.
paralelo40
16.09.2012 - 09:06
Vai falar já hoje???????????????????????????
Como é possível, após uma noitada na zona das Ruas Castilho e Marquês da Fronteira, mesmo dentro do parque? Ainda tem de tirar a maquilhagem e vestir-se a rigor, ao contrário do que ele adora, ainda se fosse fato de mulher !
Coitado do homo, não vai dizer coisa com coisa, vamos vêr se não se descai a dizer quantos garotos meteram conversa com ele, ups ela.
paralelo40
16.09.2012 - 08:42
A senhora Portas vai exigir ao filho do tarado médico de Vila Real, em troca de não o pôr já a andar, uma coisa que eu sei. E sei-o porque estive a consultar a Maya, deitou uns papeis com bonecos em cima da mesa e, na tirada Celta, concuiu que os arcanos diziam o que ele queria e que o filho do médico e boneco do capital consentia, até porque, na mediação, há que ter em conta que o palhaço mandado do capital tem em casa uma monhé mal feita, filha bastarda do grande Presidente da corrupção e assassinato, Doutor Nino Vieira.
Viriato Pedrada
16.09.2012 - 08:10
Independente de os números estarem errados e até exagerados, uma verdade é que foi uma grande manifestação e numa coisa a Comunicação é unânime:- Esta foi uma das maiores manifestações que alguma vez já aconteceram em Portugal, tendo sido comparada às que se seguiram após o 25 de Abril 74, como o 1º. de Maio e a da Alameda. Perante o facto consumado o governo só pode tirar daí as devidas conclusões. Ou recua principalmente na TSU, onde todos estão em desacordo e poderá ter mais um tempo de vida, ou então deve pedir a demissão, porque acabou o benefício da dúvida e os portugueses perderam a confiança. Disse-o por aqui diversas vezes, que pode enganar-se todos durante algum tempo, mas é impossível enganar todos durante o tempo todo. As promessas não cumpridas e a má governação reconhecida praticamente pela maioria, nomeadamente até por pessoas do arco do poder como Ferreira Leite, mas também por todos os que estão a sofrer na pele o desemprego e a miséria, chegou ao fim a paciência, porque os sacrifícios têm limites e o povo não pode suportar mais segundo as próprias palavras daqueles que hoje ocupam o poder e que estão a fazer tudo menos o que prometeram.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/08/frases-celebres-de-pedro-passos-coelho.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/09/helena-roseta-este-governo-rouba-os.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/09/este-primeiro-ministro-e-um-disparate.html

http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/09/ferreira-leite-arrasa-vitor-gaspar.html
DEIXALA
16.09.2012 - 06:35
(Algarvez)
Espero que não fique ofendido por ter colado o que escreveu assim tira-me trabalho e como condordo em 100% do que lá está!
1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores,
suportes burocráticos respetivos, carros, motoristas, etc.) dos três
Presidentes da República retirados;

2. Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes,
profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias
na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e
outras libações, tudo à custa do pagode;

3. Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas que
não servem para nada e, têm funcionários e administradores com 2º e 3º
emprego;

4. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir
milhares de euro/mês e que não servem para nada, antes, acumulam
funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respetivo.

5. Por exemplo as empresas de estacionamento não são verificadas
porquê? E os aparelhos não são verificados porquê? É como um táxi, se
uns têm de cumprir porque não cumprem os outros? e não são verificados
como podem ser auditados?

6. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa
reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em
1821, etc...;

7. Redução drástica das Juntas de Freguesia.. Acabar com o pagamento
de 200 ? por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75, ?
nas Juntas de Freguesia.

8. Acabar com o Financiamento aos partidos, que devem viver da
quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem,
para conseguirem verbas para as suas atividades;

9. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores,
etc., das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões
particulares pelo País;

10. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento
das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e
famílias e até, os filhos das amantes...

11. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado e
entes públicos menores, mas maiores nos dispêndios públicos;

12. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não
permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular
tal como levar e trazer familiares e filhos, às escolas, ir ao mercado
a compras, etc.;

13. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e
respetivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos
contribuintes que vivem em tugúrios inabitáveis....

14. Controlar o pessoal da Função Pública (todos os funcionários pagos
por nós) que nunca está no local de trabalho. Então em Lisboa é o
regabofe total. HÁ QUADROS (diretores gerais e outros) QUE, EM VEZ DE
ESTAREM NO SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE
ADVOGADOS A CUIDAR DOS SEUS INTERESSES, QUE NÃO NOS DÁ COISA
PÚBLICA....;

15. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos
que servem para garantir tachos aos apaniguados do poder - há
hospitais de província com mais administradores que pessoal
administrativo. Só o de PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES
PRINCIPESCAMENTE PAGOS...
pertencentes ás ligarquias locais do partido no poder...

16. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos
sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com
o Governo, no âmbito de um tráfico de influências que há que
criminalizar, autuar, julgar e condenar;

17. Acabar com as várias reformas por pessoa, de entre o pessoal do
Estado e entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado.

18. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao
BPN e BPP;

19. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros e
Quejandos, onde quer que estejam e por aí fora.

20. Acabar com os salários milionários da RTP e os milhões que a mesma
recebe todos os anos.

21. Acabar com os lugares de amigos e de partidos na RTP que custam
milhões ao erário público.

22. Acabar com os ordenados de milionários da TAP, com milhares de
funcionários e empresas fantasmas que cobram milhares e que pertencem
a quadros do Partido Único (PS + PSD).

23. Assim e desta forma Sr. Ministro das Finanças recuperaremos
depressa a nossa posição e sobretudo, a credibilidade tão abalada pela
corrupção que grassa e pelo desvario dos dinheiros do Estado ;

24. Acabar com o regabofe da pantomina das PPP, que mais não são do
que formas habilidosas de uns poucos patifes se locupletarem com
fortunas à custa dos papalvos dos contribuintes, fugindo ao controle
seja de que organismo independente for e fazendo a "obra" pelo preço
que "entendem"...;

25. Criminalizar, imediatamente, o enriquecimento ilícito,
perseguindo, confiscando e punindo os biltres que fizeram fortunas e
adquiriram patrimónios de forma indevida e à custa do País,
manipulando e aumentando preços de empreitadas públicas, desviando
dinheiros segundo esquemas pretensamente "legais", sem controlo, e
vivendo à tripa forra à custa dos
dinheiros que deveriam servir para o progresso do país e para a
assistência aos que efetivamente dela precisam;

26. Controlar a atividade bancária por forma a que, daqui a mais uns
anitos, não tenhamos que estar, novamente, a pagar "outra crise";

27. Não deixar um único malfeitor de colarinho branco impune, fazendo
com que paguem efetivamente pelos seus crimes, adaptando o nosso
sistema de justiça a padrões civilizados, onde as escutas VALEM e os
crimes não prescrevem com leis à pressa, feitas à medida;

28. Impedir os que foram ministros de virem a ser gestores de empresas
que tenham beneficiado de fundos públicos ou de adjudicações decididas
pelos ditos.

29. Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam
cargos políticos, central e local, de forma a saber qual o seu
património antes e depois.

30. Pôr os Bancos a pagar impostos.
1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores,
suportes burocráticos respetivos, carros, motoristas, etc.) dos três
Presidentes da República retirados;

2. Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes,
profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias
na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e
outras libações, tudo à custa do pagode;

3. Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas que
não servem para nada e, têm funcionários e administradores com 2º e 3º
emprego;

4. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir
milhares de euro/mês e que não servem para nada, antes, acumulam
funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respetivo.

5. Por exemplo as empresas de estacionamento não são verificadas
porquê? E os aparelhos não são verificados porquê? É como um táxi, se
uns têm de cumprir porque não cumprem os outros? e não são verificados
como podem ser auditados?

6. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa
reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em
1821, etc...;

7. Redução drástica das Juntas de Freguesia.. Acabar com o pagamento
de 200 ? por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75, ?
nas Juntas de Freguesia.

8. Acabar com o Financiamento aos partidos, que devem viver da
quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem,
para conseguirem verbas para as suas atividades;

9. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores,
etc., das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões
particulares pelo País;

10. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento
das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e
famílias e até, os filhos das amantes...

11. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado e
entes públicos menores, mas maiores nos dispêndios públicos;

12. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não
permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular
tal como levar e trazer familiares e filhos, às escolas, ir ao mercado
a compras, etc.;

13. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e
respetivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos
contribuintes que vivem em tugúrios inabitáveis....

14. Controlar o pessoal da Função Pública (todos os funcionários pagos
por nós) que nunca está no local de trabalho. Então em Lisboa é o
regabofe total. HÁ QUADROS (diretores gerais e outros) QUE, EM VEZ DE
ESTAREM NO SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE
ADVOGADOS A CUIDAR DOS SEUS INTERESSES, QUE NÃO NOS DÁ COISA
PÚBLICA....;

15. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos
que servem para garantir tachos aos apaniguados do poder - há
hospitais de província com mais administradores que pessoal
administrativo. Só o de PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES
PRINCIPESCAMENTE PAGOS...
pertencentes ás ligarquias locais do partido no poder...

16. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos
sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com
o Governo, no âmbito de um tráfico de influências que há que
criminalizar, autuar, julgar e condenar;

17. Acabar com as várias reformas por pessoa, de entre o pessoal do
Estado e entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado.

18. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao
BPN e BPP;

19. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros e
Quejandos, onde quer que estejam e por aí fora.

20. Acabar com os salários milionários da RTP e os milhões que a mesma
recebe todos os anos.

21. Acabar com os lugares de amigos e de partidos na RTP que custam
milhões ao erário público.

22. Acabar com os ordenados de milionários da TAP, com milhares de
funcionários e empresas fantasmas que cobram milhares e que pertencem
a quadros do Partido Único (PS + PSD).

23. Assim e desta forma Sr. Ministro das Finanças recuperaremos
depressa a nossa posição e sobretudo, a credibilidade tão abalada pela
corrupção que grassa e pelo desvario dos dinheiros do Estado ;

24. Acabar com o regabofe da pantomina das PPP, que mais não são do
que formas habilidosas de uns poucos patifes se locupletarem com
fortunas à custa dos papalvos dos contribuintes, fugindo ao controle
seja de que organismo independente for e fazendo a "obra" pelo preço
que "entendem"...;

25. Criminalizar, imediatamente, o enriquecimento ilícito,
perseguindo, confiscando e punindo os biltres que fizeram fortunas e
adquiriram patrimónios de forma indevida e à custa do País,
manipulando e aumentando preços de empreitadas públicas, desviando
dinheiros segundo esquemas pretensamente "legais", sem controlo, e
vivendo à tripa forra à custa dos
dinheiros que deveriam servir para o progresso do país e para a
assistência aos que efetivamente dela precisam;

26. Controlar a atividade bancária por forma a que, daqui a mais uns
anitos, não tenhamos que estar, novamente, a pagar "outra crise";

27. Não deixar um único malfeitor de colarinho branco impune, fazendo
com que paguem efetivamente pelos seus crimes, adaptando o nosso
sistema de justiça a padrões civilizados, onde as escutas VALEM e os
crimes não prescrevem com leis à pressa, feitas à medida;

28. Impedir os que foram ministros de virem a ser gestores de empresas
que tenham beneficiado de fundos públicos ou de adjudicações decididas
pelos ditos.

29. Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam
cargos políticos, central e local, de forma a saber qual o seu
património antes e depois.

30. Pôr os Bancos a pagar impostos.
vagama
16.09.2012 - 04:33
Portas... pega no teu amigo passos coelho e vão os dois pro inferno!! Desapareçam seus ladroes!!!! Chega de viverem como parasitas, o povo não aguenta mais!!! Agora este vem tirar o corpo fora!!! Volta Salazar estás perdoado, perto destes parasitas és um Anjo!!!! Volta Sócrates estás perdoado... Pelo menos não mentias de forma tao descarada como esse Filho da P@#$% do Passos coelho!
NMax
16.09.2012 - 02:59
É impressão minha ou a maioria dos comentários aqui escritos são de fascistazinhos??? Sabem o que aconteceu na Islândia? Conhecem o percurso desse pequeno País até hoje? Vivemos numa partidocracia, e o grande problema é este.Porque será que a comunicação social não fala da Islândia??? Eu, e felizmente muitos mais, queremos o fim dos partidos políticos já.Acordem.
maameGUI9
16.09.2012 - 01:55
Portas soube e discordou da TSU, mas não queria abrir uma cise política. Seguro, por seu lado, diz que não quer que o governo caia, para não abrir uma crise. Os homens até pareciam inteligentes. Mas esta da crise política está a relegá-los para o caixote do lixo da história. Com efeito, as crises políticas não contemplam apenas as dificuldades palacianas. A maior das crises é o divórcio total entre governantes e governados. Essa crise é que é de muito difícil remédio.
Zeus
16.09.2012 - 00:17
!
Zeus
16.09.2012 - 00:17
O Paulinho das Feiras é o rei da demagogia em Portugal. O que ele quer é o que sempre quis viver como um reizinho à custa dos impostos dos Portugueses.

Foi assim quando ele andou a saquear o Estado através da Universidade Moderna, Centro de Crime Organizado do qual o Paulinho das Feiras era um dos Administradores.

Foi assim com a golpada corrupta do caso Portucale.

Foi assim com a golpada dos Submarinos na sequência da qual apareceram mais de 1 milhão de Euros na conta do CDS e que ele justificou dizendo que eram doações de militantes, entre os quais um tal Jacinto Leite Capelo Rego.

Foi assim com inúmeras mentiras ditas por ele durante a campanha eleitoral, entre elas a promessa de que não iria aumentar os impostos. Não só aumentaram os impostos como cortaram os salários dos Portugueses em 20% a 30%. E porque o Paulinho das Feiras desde que foi nomeado para o Governo ainda não passou 1 semana em Portugal porque anda sempre a viajar à custa dos saques aos Portugueses e quer continuar neste regabofe terceiro-mundista de dar várias voltas ao Mundo a fazer turismo à custa dos Portugueses.

O Paulinho das Feiras é um intrujão, um crápula demagogo que quer viver como um reizinho à custa do saque do Estado Português. Mas vai passar a ter cuidado antes de sair de casa. Pode apanhar umas murraças nas trombas quando menos esperar. Quanto mais depressa for corrido do poder melhor. O lugar dele é na prisão!
meccc
16.09.2012 - 00:03
Portas a tirar o cavalinho da chuva...

Que desplante! Que falta de solidariedade!
Que oportunismo!

Na realidade há duas coisas que distingue Portas de Passos: este é mais imatur, mais voluntarista enquanto Portas estando metido nos "submarinos", "Portucale"... nunca sai queimado, ou seja, é uma velha ratazana que sabe rasteirar os amigos para sobreviver.
GALAICOLUSITANO
15.09.2012 - 23:35
ESTE PORTAS DEVIA VENDER OS SUBMARINOS, OS F16 QUE COMPROU E DAR CONTAS DE ONDE LEVOU O DINHEIRO DAS VIATURAS PANDUR. VIGARISTAS. LADRÃO.
meiodoido
15.09.2012 - 23:32
igual ás divergencias entre cds e ppd só a orquestra dos independentes do ps....enfim...quando temos politicos que nunca fizeram nenhum....a mioria deles já como estudantes eram uns cábulas...que nos resta ?....rir para não chorar...
Algarvez
15.09.2012 - 23:16
Por portas e travessas acabei de saber o que PP vai falar para evitar a crise politica por evitar a outra não é capaz.




1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores,
suportes burocráticos respetivos, carros, motoristas, etc.) dos três
Presidentes da República retirados;

2. Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes,
profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias
na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e
outras libações, tudo à custa do pagode;

3. Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas que
não servem para nada e, têm funcionários e administradores com 2º e 3º
emprego;

4. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir
milhares de euro/mês e que não servem para nada, antes, acumulam
funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respetivo.

5. Por exemplo as empresas de estacionamento não são verificadas
porquê? E os aparelhos não são verificados porquê? É como um táxi, se
uns têm de cumprir porque não cumprem os outros? e não são verificados
como podem ser auditados?

6. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa
reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em
1821, etc...;

7. Redução drástica das Juntas de Freguesia.. Acabar com o pagamento
de 200 ? por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75, ?
nas Juntas de Freguesia.

8. Acabar com o Financiamento aos partidos, que devem viver da
quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem,
para conseguirem verbas para as suas atividades;

9. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores,
etc., das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões
particulares pelo País;

10. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento
das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e
famílias e até, os filhos das amantes...

11. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado e
entes públicos menores, mas maiores nos dispêndios públicos;

12. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não
permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular
tal como levar e trazer familiares e filhos, às escolas, ir ao mercado
a compras, etc.;

13. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e
respetivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos
contribuintes que vivem em tugúrios inabitáveis....

14. Controlar o pessoal da Função Pública (todos os funcionários pagos
por nós) que nunca está no local de trabalho. Então em Lisboa é o
regabofe total. HÁ QUADROS (diretores gerais e outros) QUE, EM VEZ DE
ESTAREM NO SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE
ADVOGADOS A CUIDAR DOS SEUS INTERESSES, QUE NÃO NOS DÁ COISA
PÚBLICA....;

15. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos
que servem para garantir tachos aos apaniguados do poder - há
hospitais de província com mais administradores que pessoal
administrativo. Só o de PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES
PRINCIPESCAMENTE PAGOS...
pertencentes ás ligarquias locais do partido no poder...

16. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos
sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com
o Governo, no âmbito de um tráfico de influências que há que
criminalizar, autuar, julgar e condenar;

17. Acabar com as várias reformas por pessoa, de entre o pessoal do
Estado e entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado.

18. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao
BPN e BPP;

19. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros e
Quejandos, onde quer que estejam e por aí fora.

20. Acabar com os salários milionários da RTP e os milhões que a mesma
recebe todos os anos.

21. Acabar com os lugares de amigos e de partidos na RTP que custam
milhões ao erário público.

22. Acabar com os ordenados de milionários da TAP, com milhares de
funcionários e empresas fantasmas que cobram milhares e que pertencem
a quadros do Partido Único (PS + PSD).

23. Assim e desta forma Sr. Ministro das Finanças recuperaremos
depressa a nossa posição e sobretudo, a credibilidade tão abalada pela
corrupção que grassa e pelo desvario dos dinheiros do Estado ;

24. Acabar com o regabofe da pantomina das PPP, que mais não são do
que formas habilidosas de uns poucos patifes se locupletarem com
fortunas à custa dos papalvos dos contribuintes, fugindo ao controle
seja de que organismo independente for e fazendo a "obra" pelo preço
que "entendem"...;

25. Criminalizar, imediatamente, o enriquecimento ilícito,
perseguindo, confiscando e punindo os biltres que fizeram fortunas e
adquiriram patrimónios de forma indevida e à custa do País,
manipulando e aumentando preços de empreitadas públicas, desviando
dinheiros segundo esquemas pretensamente "legais", sem controlo, e
vivendo à tripa forra à custa dos
dinheiros que deveriam servir para o progresso do país e para a
assistência aos que efetivamente dela precisam;

26. Controlar a atividade bancária por forma a que, daqui a mais uns
anitos, não tenhamos que estar, novamente, a pagar "outra crise";

27. Não deixar um único malfeitor de colarinho branco impune, fazendo
com que paguem efetivamente pelos seus crimes, adaptando o nosso
sistema de justiça a padrões civilizados, onde as escutas VALEM e os
crimes não prescrevem com leis à pressa, feitas à medida;

28. Impedir os que foram ministros de virem a ser gestores de empresas
que tenham beneficiado de fundos públicos ou de adjudicações decididas
pelos ditos.

29. Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam
cargos políticos, central e local, de forma a saber qual o seu
património antes e depois.

30. Pôr os Bancos a pagar impostos.
anauraco
15.09.2012 - 23:14
Apoiado Kalvin.
pedescalco
15.09.2012 - 23:09
...

"O vice-presidente do CDS-PP Nuno Melo afirmou hoje que o líder do partido, Paulo Portas, "teve conhecimento" da medida de redução da TSU, discordou dela e apresentou alternativas, mas "não quis abrir uma crise política".

... maa quis foi manter o tacho bem seguro!




PUB
PUB
Siga-nos
CD Carríssimas Canções de Sérgio Godinho
Assinaturas - Revista FEEL IT (PT)
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt