quarta-feira, 23 de Abril de 2014, 13:16
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
GNR com dívidas ao Fisco e à Segurança Social

7 de Maio, 2011
O comandante-geral da GNR afirmou hoje que a Guarda está «nos limites», mas a «componente operacional» não está a ser afectada por cortes orçamentais, existindo um atraso de «liquidez» que obrigou a adiar pagamentos à Segurança Social e IRS.

“Há algum atraso de liquidez e, nesse atraso na liquidez, há coisas que não foram ainda liquidadas, a segurança social e o IRS. Estamos à espera que nos atribuam essa verba para podermos liquidar esses montantes”, afirmou o comandante-geral, Newton Parreira, aos jornalistas após a cerimónia dos 100 anos da GNR.

A cerimónia decorreu frente ao mosteiro dos Jerónimos em Lisboa e foi presidida pelo Presidente da República, Cavaco Silva.

“Neste momento, estamos nos limites. Se tivermos de cortar mais na componente orçamental teremos também que cortar um pouco na parte da componente operacional”, afirmou, ressalvando que a falta de verba para pagamento de salários nunca esteve em causa.

“Os ordenados nunca estiveram em risco”, disse Newton Parreira.

O comandante-geral da GNR referiu que foi feito um “plano de contenção de despesas” que contemplou “única e exclusivamente” a “parte administrativa e logística”, excluindo, assim, a “componente operacional”, que, “por enquanto, ainda não está a ser afetada nesse corte do orçamento”.

“Não digo que não esteja totalmente a ser afectada [a componente operacional], o vetor fundamental da componente operacional está em execução”, afirmou.

Sobre o montante em falta para a liquidez da GNR, Newton Parreira afirmou não ter presente esse valor, referindo que se trata de “um atraso de um mês, mais ou menos, um mês, dois meses”.

“Até ao momento não há dificuldades, as dificuldades advêm da tal liquidez. Até ao fim do ano pode ser que as coisas se alterem. Mas até este momento, mal seria, que no início do ano, no mês de Abril, Maio, tivéssemos essas dificuldades”, disse.

Ainda sobre o reflexo da situação económica e financeira do país na GNR, Newton Parreira afirmou que “as pessoas sentem aquilo que sente o país”.

“Estamos todos tristes por o país estar nesta situação, mas não podemos alterar essa situação”, afirmou.

As comemorações do centenário da GNR foram presididas pelo Presidente da República, Cavaco Silva, que, no entanto, não interveio na cerimónia que decorreu frente ao Mosteiro dos Jerónimos.

No início do desfile, que encerrou a cerimónia, foi anunciado pelos militares que narraram os diversos passos do evento, que, por motivos de “contenção orçamental”, o desfile seria mais reduzido, com a presença de menos militares e viaturas.

O ministro da Administração Interna, Rui Pereira, que, tal como o Presidente da República, não prestou declarações aos jornalistas, proferiu uma intervenção de elogio à GNR.

Rui Pereira referiu-se à GNR enquanto “órgão de polícia criminal de competência genérica”, ao seu papel no domínio da protecção civil, ambiente, combate a incêndios florestais, no policiamento de proximidade e na concretização de contratos locais de segurança.

“A Guarda tem sabido responder de forma musculada, forte, usando a autoridade do Estado, à criminalidade mais violenta e grave”, afirmou, enaltecendo também o papel da GNR no combate à criminalidade fiscal e na representação de Portugal em missões de paz no estrangeiro, nomeadamente em Timor-Leste, e nas “missões complexas e difíceis” da Bósnia e Afeganistão.

Lusa/SOL

Tags: Sociedade



8 Comentários
JesusC
08.05.2011 - 05:44
O Pais esta' nos Limites ?!Deixem a boa educaçao la' para casa, e usem o termo correcto : o Pais esta' nas Lonas. Se algum manga de alpaca deixar para amanha o que tem de fazer hoje, vai haver cortes de electricidade. Sem ela, nao ha' computadores, internet ou telefone. Quem precisar da GNR, faça sinais de fumo, com a marijuana do quintal.Os caes comem muita raçao? Deem-lhes raçao para gato. Ficam mais pequeninos, e podem ser levados ao colo, quando ja' nao houver dinheiro para gasolina.Se for preciso cortar na raçao para os cavalos, nao faz mal. Ponham a Cavalaria a puxar os bichos pela arreata: quem come pouco, nao pode transportar grandes pesos.Reduzam a Zero o dispositivo territorial a Sul do Tejo. Aquilo e' um deserto, e os camelos que por la' vivem, nao gostam da cor da farda.
acd31gbs
08.05.2011 - 00:23
Agradeçam ao Sócrates que colocou Portugal na bancarrota e quem vai pagar são os mesmos de sempre,os que pouco ou nada têm
Grundleon
08.05.2011 - 00:06
veritatis
07.05.2011 - 22:23

Concordo em absoluto.
Haver duas forças que fazem exactamente o mesmo, é a maior estupidez.
Apenas leva à duplicação de recursos, mais nada.
É tão evidente que não percebo porque aindqa ninguém pegou nesta bandeira.
Nenhum dos partidos tem coragem?

Faz lembrar a cena das ARSs e da ADSE, fazem exactamente o mesmo, são pagas pelo mesmo.
Porque existem duas?
Vai se lá saber.....

Mais um dos absurdos em que ninguém mexe.
veritatis
07.05.2011 - 22:23
Devia haver uma única força policial...este divisionismo salazarento só dá prejuizo!
piolhoso
07.05.2011 - 21:56
ASS1719
07.05.2011 - 20:03

Caro amigo, os quartéis já foram vendidos, agora o desgoverno socratino paga rendas aos amigos que alugam casas para a PSP e a GNR, se alojarem. Este é o negócio do PS, já vendeu 80% do património para pagar os juros das dívidas que tem contraído.
piolhoso
07.05.2011 - 21:52
Quanto a isto, só tenho a comentar uma coisa, a GNR e a PSP deviam de acabar. A razão é simples para que serve esta gente! Sem legislação, sem força, desarmados não podendo usar as armas e ainda por cima se têm o azar de matar um canalha, eles é que pagam, por isso é que eu digo que não há necessidade de haver forças de segurança, neste país podre.
Grundleon
07.05.2011 - 21:11
A HERANÇA DO SÓCRATES

Este é o estado em que o Sócrates deixa o país.
Não tenham dúvidas que, se o Sócrates continuar a governar, assim que acabar os empréstimos agora negociados, vamos estar pior do que agora.

A loucura deste sujeito, a obsessão pelos TGVs, vai levar Portugal sempre para pior.
ASS1719
07.05.2011 - 20:03
GNR COM DÍVIDAS AO FISCO E SEGURANÇA SOCIAL...ENTÃO COMO É, O EXEMPLO NÃO VEM DE CIMA? TOCA DE IMEDIATO, A COMEÇAREM A HIPOTECAR, OS QUARTEÍS, VIATURAS, ARMAS, MUNIÇÕES, TUDO O QUE DER DINHEIRO PARA FUTUROS LEILÕES. SE AOS PARTICULARES O FISCO ATACA SEM DÓ NEM PIEDADE, SENHORES DAS FINANÇAS ESTÃO À ESPERA DE QUÊ? TÊEM MEDO DE LEVAR COM UMAS RAJADAS? VALENTÕES DAS DÚZIAS. POR AQUI SE VÊ A BANDALHA DAS FINANÇAS. UM DIA, FAÇO O MESMO, ESPERO 1 OU 2 MÊSES, DEPOIS PAGO AO FISCO, O IMI POR EXEMPLO.


PUB
PUB
Siga-nos
CD Carríssimas Canções de Sérgio Godinho
Assinaturas - Revista FEEL IT (PT)
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt