segunda-feira, 21 de Abril de 2014, 10:36
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
'Fomos invadidos por uma espécie de vampiros', diz Eduardo Lourenço

20 de Fevereiro, 2014
O ensaísta Eduardo Lourenço disse hoje que houve uma invasão por "uma espécie de vampiros", que são quem controla o sistema inventado pela modernidade, vivendo-se agora um "apocalipse indirecto" em "estado de guerra permanente".

Durante a primeira mesa da 15.ª edição do Correntes d'Escritas, na Póvoa de Varzim, sob o título "Pensamentos não são correntes de ninguém", Eduardo Lourenço disse: "Dá a impressão de que, de repente, fomos invadidos, não por uns castelhanos arcaicos nossos vizinhos e que são nossos irmãos e primos, mas por uma espécie de vampiros como aqueles que o cinema de Hollywood ilustra. Não é por acaso que o tema dos vampiros se tornou um tema da moda, os vampiros são emissários da morte, é como se estivéssemos a viver uma espécie de apocalipse indirecto".

O autor, que disse não acreditar que o tempo desta "espécie de submissão mansa" vá perdurar, ressalvou não querer contribuir para algo como uma "depressão de segundo grau, por conta dos outros".

"Não sei se é um comportamento muito português dormir em cima daquilo que nos ameaça profundamente e nos põe problemas que não podemos resolver esperando que, com o tempo, com um pouco de sorte, acabemos por sair desta espécie de atoleiro em que estamos mergulhados", acrescentou.

"Os vampiros não são tão vampiros como isso, são pessoas reais. São as pessoas que controlam o sistema que a modernidade foi inventando pouco a pouco, com os seus novos meios de produção, que aumentaram efectivamente de maneira fantástica a possibilidade que os homens têm de aceder a um certo número de coisas que são importantes", disse Eduardo Lourenço, já em resposta a questões do público.

O autor declarou que a televisão é hoje "o objecto mais importante", tendo o "espaço público desaparecido", o que deu origem a um momento em que "tudo se passa na televisão, as intervenções dos comentadores na televisão são mais importantes do que a realidade".

Eduardo Lourenço lamentou que a política já não seja uma "política real".

"Passámos [...] para um tempo em que aparentemente as guerras já não têm lugar ou são guerras de uma outra espécie, são quase guerras virtuais como se fossem cinema puro, embora os mortos não sejam cinema nenhum. Passámos para um tempo em que estamos - não parece à primeira vista - num mundo em estado de guerra permanente no interior do sistema, não há nenhuma grande produção que não esteja em guerra com uma outra ao lado", afirmou o vencedor do prémio Camões de 1996.

Eduardo Lourenço disse ainda não pensar nada sobre o futuro, uma vez que "se pensasse no futuro era o dono do futuro".

Assim, o ensaísta, que constatou saber o que é estar "à beira do abismo" por estar próximo do seu próprio, apelou a que se tenha paciência, antes de entrar "enfim na terra da promissão".

A 15.ª edição do festival literário Correntes d'Escritas decorre entre hoje e sábado.

Lusa/SOL




31 Comentários
zedaesquina
21.02.2014 - 15:55


magico
20.02.2014 - 23:27
denunciar
Os comunas burgueses abastados dos funcionários públicos levam tudo o que o país produziu e tudo o que os trabalhadores privados produzem.A "guerra" só vai acabar quando o povo se revoltar contra os comunistas burgueses dos funcionários públicos.
???????????????????????????????????????????????
É UM RELES MAGICO, TENTA TRANSFORMAR SOCIALISTAS
EM COMUNISTAS E NÃO VÊ QUE NÃO CONSEGUE.
O SR NÃO É MAGICO É CEGO.
mundonovo50
21.02.2014 - 12:46
quijote
21.02.2014 - 08:3

O centro da vampiragem que nos suga o sangue é na Sopeiro Pereira Gomes.

o maior centro de vampiragem conhecido da grande maioria dos portugueses é na Rua São Caetano, lá é que se encontram os maiores vampiros e mais perigosos
OldPirate
21.02.2014 - 09:55

Por falar em vampiros... Já pagaram o IUC ? acrescido do respectivo adixionaljinho pra combater a crije ?

NaoGostoDesteGoverno
21.02.2014 - 08:40
Quando o povo acordar, os políticos vão deixar de brincar!

Se acabassem com as mordomias políticas; benefícios às elites; boys; 
parcerias, etc, não haveria necessidade de Troikas e o esforço da 
população para recuperar este país, seria mínimo.

Mas, como estes políticos querem pagar dívida de Portugal, mantendo 
intactos os verdadeiros gordos comilões dos dinheiros públicos, 
naturalmente, é muito doloroso para quem paga, ou seja, o povo e 
cidadão comum, recaindo sobre ele, medidas pesadas de austeridade.

Existem varios estudos que referem que seria mais economico e vantajoso para Portugal, acabar com as parcerias publico privadas e indemenizar-las, do que manter os contratos....mas, este governo, apenas renegociou alguns, em vez de acabar com os "bampiros sanguessugas".

No dia das eleições, saibam bem escolher em quem votar.
quijote
21.02.2014 - 08:37
O centro da vampiragem que nos suga o sangue é na Sopeiro Pereira Gomes.
AguiadaSerra
21.02.2014 - 01:47
joseduarte
20.02.2014 - 22:12

Obrigado.
emadio
21.02.2014 - 01:33
UMA ESPECIE DE BAMPIROS???? ESTA CANALHA PULHITICA QUE NOS DESGOVERNAM DESDE O ULTRAJANTE 25 74 SAO BEM PIORES QUE BAMPIROS. UM BAMPIRO QUANDO TEM A BARRIGA CHEIA ABANDONA A PRESA ESTA CANALHA SEJA DO PCP ATE CDS SAO MAIS PERECIDOS COM PIRANHAS
ZXC098
21.02.2014 - 01:26
O que dá a impresssão de estar a ocorrer é a etapa da passagem do testemunho em ebulição própria mas para uma geração duvidosa na responsabilidade e hedonista como finalidade caótica.
ZXC098
21.02.2014 - 01:24
o que dá a ipresssão de estar a ocorrer é a etapa da passagem do testemunho em ebulição própria mas para uma geração duvidosa na responsabilidade e hedonista como finalidade caótica.
mundonovo50
21.02.2014 - 01:12
joseduarte
21.02.2014 - 00:16

mundonovo50 - 20.02.2014 - 23:44

Realmente, anda cá muito sucateiro...


sucateiro é uma profissão como outra qualquer
vendap
21.02.2014 - 00:21
magico 20.02.2014 - 23:27

Eu sou Ateu mas Deus te ouça para nos dar a oportunidade de acabar de vez com os direitalhos rançosos.
joseduarte
21.02.2014 - 00:16
mundonovo50 - 20.02.2014 - 23:44

Realmente, anda cá muito sucateiro...
mundonovo50
20.02.2014 - 23:44
salvo raras e honrosas excepções,este forum anda muito mal frequentado
magico
20.02.2014 - 23:27
Os comunas burgueses abastados dos funcionários públicos levam tudo o que o país produziu e tudo o que os trabalhadores privados produzem.A "guerra" só vai acabar quando o povo se revoltar contra os comunistas burgueses dos funcionários públicos.
mirodri
20.02.2014 - 23:25
LOL

era o pensador agora já é o ensaísta?

este é só mais um vampiro que o contribuinte tem de sustentar
chamusky
20.02.2014 - 23:18
mundonovo50, este traste do jeropiga não é anónimo, é um JOTINHA BURRO cá da nossa praça. O IDIOTA é que pensa que se esconde
dmreis
20.02.2014 - 23:17
Longe vai o tempo em que escreveu o Labirinto da Saudade e ainda nos via, ao mundo e a nós própios como um "lugar" de esperança.
magico
20.02.2014 - 23:11
Os comunas burgueses abastados dos funcionários públicos levam tudo o que o país produziu e tudo o que os trabalhadores privados produzem.A "guerra" só vai acabar quando o povo se revoltar contra os comunistas burgueses dos funcionários públicos.
Sensor
20.02.2014 - 22:46
Grande português. Palavras sempre lúcidas.

Acertou em cheio, o mundo está perigoso como nunca.
jeropiga
20.02.2014 - 22:42
Entendi!
O gajo é zarolho.
Porra pá.
Fomos invadidos por xuxialistas-cumonistas zarolhos.



PUB
PUB
Siga-nos
CD Carríssimas Canções de Sérgio Godinho
Assinaturas - Revista FEEL IT (PT)
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt