quarta-feira, 16 de Abril de 2014, 20:50
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
Pipoca mais doce e Arrumadinho: Amor e dois blogues

8 de Outubro, 2011
São jornalistas, bloggers e partilham o gosto pela moda. Conheceram-se em Lisboa, nos Santos Populares. «Ele colou-se tipo emplastro num grupo só de raparigas», conta Ana Garcia. Quando lhe disseram que ela era a Pipoca Mais Doce, Ricardo não fazia a mínima ideia de quem se tratava.

Mas a curiosidade falou mais alto e Ricardo começou a ler o blogue mais açucarado da web porque «tinha um registo com muita graça». Na altura, Ricardo trabalhava no 24 Horas, onde procuravam colunistas. A Pipoca veio logo à memória e acabou por indicar o seu nome. «Felizmente a crónica dela não arrancou nessa altura, para não levar com bocas».

No dia seguinte ao casamento foram alvo de comentários menos doces. Ana e Ricardo vestiram-se de noivos para assistirem a um jogo Benfica-Sporting. Ana queria usar o vestido de noiva duas vezes na vida e pensou «que depois de casar pela Igreja ia ser abençoada à catedral da Luz». Às críticas os noivos respondem que «a ideia não era dar nas vistas», mas sim fazer «um prolongamento da festa».

Quando se aventuraram na escrita de uma espécie de diário online não esperavam atingir o sucesso que hoje têm. Criaram os blogues por mera brincadeira e para escreverem tudo o que pensavam. «Nunca fui adepto da blogosfera. Ainda hoje não me considero um blogger como deve ser. Não é uma coisa que me suscite tanto interesse. Sou mais um curioso que por acaso tem um blogue onde falo de coisas que acho que são interessantes», conta Ricardo. Já Ana Garcia, 30 anos, queria ter mais liberdade criativa. No trabalho «não tinha espaço para escrever sobre as coisas que realmente gostava, devaneios, parvoíces, trivialidades». O que é certo é que hoje A Pipoca Mais Doce é um dos blogues mais lidos em Portugal, com mais de 26 mil visitas por dia, o que para a autora «é um bocado assustador».

Os blogues do casal começaram por ser anónimos. No caso do Arrumadinho, achavam que era uma mulher a escrevê-lo. Até houve quem achasse que era Ana para ter mais visitas. «As pessoas elaboram teorias sobre tudo e mais alguma coisa. Nós já nos rimos com isso. É quase a nossa diversão diária», conta Ricardo. Começou-se então a especular que a Pipoca e o Arrumadinho tinham uma relação. Os leitores irritavam-se. «Não assumíamos, já nos dava gozo alimentar este jogo. Por haver esse segredo, as pessoas sempre que encaixavam uma peça no puzzle faziam um alarido».

A Pipoca mais invejada

A Pipoca Mais Doce não é apenas um blogue de moda. Ana escreve sobre o seu dia-a-dia, num tom intimista e confessional, coisas banais, sobre o seu Benfica, o Pipoca Móbil (como apelida ao seu carro) ou sobre os últimos sapatos que comprou – uma das suas perdições.

Depois de oito anos de blogue, A Pipoca Mais Doce tornou-se uma marca registada. Com o lançamento de um livro, há pouco mais de dois anos, a empresa Zero Oito contactou-a porque acreditava que o seu blogue podia ter ainda mais peso. O primeiro produto foi lançado este ano. É um CD homónimo com 15 temas da preferência da jornalista que vão desde Florence + The Machine a Marvin Gaye. Mas os projectos não ficam por aqui. Para já, o que está pensado é uma linha de vestidos para mulheres urbanas dos 20 aos 40 anos, a sair até ao final do ano.

Um dos momentos de maior visibilidade chegou quando a Delta Q lançou um passatempo para eleger a mulher mais invejada de Portugal. A autora do blogue ganhou mesmo antes de se saber a sua identidade. «Quando me ligaram pensei que estava tudo louco, porque as outras nomeadas eram as Bárbaras Guimarães e as Catarinas Furtados desta vida, ou seja, eram pessoas publicamente reconhecidas e, naquela altura, as pessoas nunca tinham visto a minha cara e não sabiam quem eu era». Mas Ana não se sente invejada e retira toda a conotação negativa que daí possa advir. Admite que o facto de ser jornalista na área do consumo a ajuda a ter acesso privilegiado a determinados assuntos. «Sei quais vão ser as colecções, por exemplo. E as pessoas acham piada a esse mundo, mas penso que é só isso. Não acredito que estejam em casa roídas de inveja porque queriam ser como eu».

Desde o início do ano o blogue começou a ser explorado comercialmente e já é a sua segunda fonte de rendimento. «O meu grande objectivo é viver do blogue e estou a fazer por isso», admite. Ana tem sentido um grande assédio por parte das marcas «porque perceberam que têm ali uma plataforma muito aliciante, fácil e imediata para se promoverem». Mas, contrariamente ao que se possa pensar, a blogger só publica coisas que comprou ou que gostava de ter. «Pensam que tudo nos é oferecido. Se recebi alguma coisa em oito anos foi muito». Ana admite que ainda não se olha para os bloggers como pessoas aptas a darem uma opinião real. «Os blogues são fontes de informação cada vez com mais poder. As pessoas mais depressa ligam à opinião de um blogger do que às revistas de moda».

O Arrumadinho da web

Ricardo Martins Pereira começou na Rádio Azul, em Setúbal, e desde então já passou pelo 24 Horas, A Bola, i, Focus e Portugal Diário. Actualmente, está na revista Sábado. Além de jornalista é também argumentista e co-autor da série Liberdade 21. Publicou recentemente o livro Complexo – Universo Paralelo que conta a história de dois irmãos que foram viver para a favela mais perigosa do Rio de Janeiro. Neste momento já está a escrever um romance, «que tem como pano de fundo o início dos anos 80 e o período conturbado do terrorismo em Portugal», um tema que o fascina desde miúdo.

O facto de se descobrir a sua identidade no blogue trouxe-lhe problemas a nível profissional. «Na altura era director-adjunto do 24 Horas e houve quem achasse que eu não podia escrever determinadas coisas porque as pessoas iam achar que eu não tinha credibilidade enquanto jornalista». Ricardo escreve sobre relações entre homens e mulheres e crê que «há muita gente que confunde a identidade de um blogger com a pessoa que escreve». Decidiu escrever sobre relacionamentos porque, na sua opinião, há uma lacuna muito grande em Portugal. «Há muito poucos homens a falar de sentimentos. É importante desmistificar aquela ideia de que os homens são todos iguais». Hoje, o Arrumadinho é o blogue masculino mais lido em Portugal com cerca de 10 mil visitas diárias.

Tal como Ana, Ricardo não publica os comentários mais depreciativos. «Nunca recebemos ameaças mas há ódio. A Ana perdeu um irmão e houve uma pessoa que comentou: ‘À tua mãe morreu o filho errado’. Se calhar porque não gosta dos vestidos que ela veste». Chegou mesmo a ser criado um blogue intitulado Pipoca Mais Azeda. Quanto aos comentários menos doces, Ana pensa que «é fascinante que alguém perca tempo a escrever um blogue sobre outro blogue que odeia». Mas o que a transcende é o facto de as pessoas se esconderem atrás do anonimato. «É o lado perverso da internet».

Tags: Vida



8 Comentários
AJMCR
09.10.2011 - 17:51
Ó dona Patrícia, e qual é o seu problema em haver comentários "depreciativos"? Este jornal não é público? Não haverá liberdade suficiente em Portugal para escrever a opinião de cada um? Ou todos têm de ter opinião igual à sua?
Há com cada uma!

Este artigo tem um interesse danado! E sou de Lisboa.
AJMCR
09.10.2011 - 17:34
Ora, ora, deixe-se de coisas! Essa frase nada tem a ver com ameaças. Nunca ouviu dizer "texto fora de contexto, serve de pretexto"? Devia ter colocado aqui o link para o texto que a dona Ana escreveu que resultou nesse comentário. A dona Ana consegue ser má, com requintes de malvadez. Apenas experimentou do veneno que escreve sobre outras pessoas - é cruel - sem se importar com o mal que possa causar aos visados ou a terceiros.
O "post" que deu azo a esse comentário é um "post" reles, vil, despresível.

Não será por acaso que o povo diz que "Deus leva quem mais ama".

Em todos os blogs mais badalados de moda e coisas do género, não há nenhum tão ofensivo como o blog da Pipoca. É uma pena. Não sendo bonita, não devendo nada à beleza, ao menos podia ser simpática. Se o povão gosta?!? Claro que gosta! A dina Ana trata mal, enxovalha, humilha, mas a carneirada 'tá toda lá. Não é por acaso que temos um ditado popular "quanto mais me bates...".
Todos são assim? Claro que não! Há gente que não vai em grupos e isso vê-se no blog da Pipoca Mais Azeda.
clarificador
09.10.2011 - 13:52
Bastou o facto de se vestirem de noivos fora da altura e local adequados,para os cidadãos do Mundo Virtual da Discriminação Inteligente,Razoável e Equilibrada(MVDIRE) do clarificador ,perceberem do que se trata,o que pretende este casal e qual a sua motivação principal.
___
Por parte dos cidadãos virtuais,estas intenções e motivações potenciais susceptivelmente negativas, saem-lhes goradas pela aplicação de virtual discriminação inteligente,em conformidade com este caso.Ai no mundo real, quem e se assim entender ,que as alimente.
__
Diagnóstico possivel concluído,sem mais atenção.
Patrícia Almeida
09.10.2011 - 11:06
É curioso que mesmo aqui as pessoas venham fazer comentários depreciativos! Na verdade se não interessava porque se dão ao 'trabalho' sequer de passar por aqui? Enfim, até se escusam comentários.
Quanto ao artigo achei muito engraçado, está escrito num tom descontraído que faz lembrar imenso os vossos blogues. Vocês são realemtne excelentes no trabalho que fazem e é sempre uma expectativa chegar ao final do dia e ir ver o que pelos vossos blogues se passou. Muitos parabéns pela forma como agem relativamente a certas críticas negativas não construtivas, e por quase diariamente fazerem os vossos leitores deixarem as suas chatices do quotidiano à parte enquanto ao mesmo tempo 'adoçam' e 'arrumam' as ideias!

P.S.: Eu sou do Norte e para mim o artigo tem interesse.
Patrícia Almeida
09.10.2011 - 11:06
É curioso que mesmo aqui as pessoas venham fazer comentários depreciativos! Na verdade se não interessava porque se dão ao 'trabalho' sequer de passar por aqui? Enfim, até se escusam comentários.
Quanto ao artigo achei muito engraçado, está escrito num tom descontraído que faz lembrar imenso os vossos blogues. Vocês são realemtne excelentes no trabalho que fazem e é sempre uma expectativa chegar ao final do dia e ir ver o que pelos vossos blogues se passou. Muitos parabéns pela forma como agem relativamente a certas críticas negativas não construtivas, e por quase diariamente fazerem os vossos leitores deixarem as suas chatices do quotidiano à parte enquanto ao mesmo tempo 'adoçam' e 'arrumam' as ideias!

P.S.: Eu sou do Norte e para mim o artido tem interesse.
mjla
08.10.2011 - 22:45
wappa2, mai nada,,,,LOLOLLLLLLLLLLLLLLLL
Realmente, isto interessa a quem?
mjla
08.10.2011 - 22:44
wappa2, mai nada,,,,LOLOLLLLLLLLLLLLLLLL
Relamente, isto interessa a quem?
wappa2
08.10.2011 - 20:36
Vê-se logo que é um artigo do SOL, é mesmo treta lisboeta. No norte ninguém quer saber disso para nada.


PUB
PUB
Siga-nos
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt