quinta-feira, 24 de Abril de 2014, 22:37
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
Cinco orcas processam Sea World por escravidão

7 de Fevereiro, 2012
A PETA nomeou cinco orcas como autoras dum processo na Justiça americana, no qual se argumenta que os animais têm os mesmos direitos de protecção contra a escravidão que os seres humanos.

Três especialistas m mamíferos marinhos e dois ex-treinadores de baleias da ONG de defesa dos direitos dos animais - People for the Ethical Treatment of Animals - entraram com a acção contra o parque aquático SeaWorld.

Pela primeira vez na história, a Justiça norte-americana vai discutir se os animais devem ter a mesma protecção constitucional que os seres humanos.

A equipe jurídica do SeaWorld classifica o caso como um desperdício de tempo e dinheiro e fez já saber, através do seu advogado – Theodore Shaw -, que consideram que, se a PETA vencer este caso, isso pode ter consequências graves para os parques marinhos e zoológicos, mas também noutras áreas onde os animais ‘ajudam’ os humanos. Dão como exemplo os cães polícia, que complementam as forças de segurança na busca de drogas, bombas e acções de resgate.

A Peta considera que as orcas Tilikum, Katina, Kasatka, Ulises e Corky são tratadas como escravas, ao viverem em tanques e serem forçadas a fazer apresentações diárias.

De acordo com analistas que se debruçaram sobre este caso, e que a BBC cita, é pouco provável que as baleias consigam a liberdade. Por outro lado, os activistas acreditam que este caso ter chegado aos tribunais já é um êxito e um passo em frente na defesa dos direitos dos animais.

A ONG baseia-se na 13ª emenda à Constituição americana – onde se aboliu a escravidão e a servidão involuntária. Jeffrey Kerr, o advogado que representa as cinco baleias, terá dito: «Pela primeira vez na história de nossa nação, um tribunal federal ouviu os argumentos sobre se seres vivos, que respiram e sentem, têm direitos ou podem ser escravizados simplesmente porque não nasceram humanos» e continuou «Escravidão não depende da espécie do escravo, assim como não depende de raça, género ou etnia. A coerção, degradação e submissão são características da escravidão e, essas orcas, enfrentaram todas as três."

Não é a primeira vez que baleias do SeaWorld ganham manchetes a nível mundial, nem sempre pelos melhores motivos. Em Fevereiro de 2010, Tilikum afogou sua treinadora diante de espectadores horrorizados no parque da Florida. O comportamento da mesma baleia esteve relacionado com mais duas mortes.

SOL




3 Comentários
ramos
10.02.2012 - 07:04
Tambêm sou contra os animais em circos e Touradas! Temos de evoluir no sentido do civismo e realmente há milhares de opções de entretenimento sem ser escravizando os animais!
agnostico1967
09.02.2012 - 23:02
Então e a trainadora ou a apresentadora também é escrava!?
SofiaMB
07.02.2012 - 14:26
Animais existem pelas suas próprias razões, não para servir, fazer lucrar ou entreter os humanos. São seres sencientes (têm a capacidade de sentir dor, medo, angústia, stress, sofrimento) cuja dignidade deve ser respeitada. Por favor não pague para ver eventos ou visitar locais em que usam animais, pois servem apenas para deseducar as pessoas e explorar os animais. Apoiem-se as opções de entretenimento sem animais e de desenvolvimento cultural de Portugal: as artes plásticas, o cinema, o teatro, a música, a dança, o artesanato, o design, a moda, o novo circo (sem animais), as performances, a educação pelas artes.


PUB
PUB
Siga-nos
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt