quarta-feira, 16 de Abril de 2014, 8:14
Pesquisa
pesquisar
Emprego Imobiliário Motores
iPad
Antigo aluno da Universidade do Minho cria plataforma que revela acordes de qualquer música

21 de Novembro, 2013
Um antigo aluno da Universidade do Minho (UMinho), José Pedro Magalhães, co-fundou um software que ensina a tocar qualquer música na guitarra, cavaquinho e piano, revelando os respectivos acordes, anunciou hoje aquela academia.

Em comunicado, a UMinho acrescenta que a plataforma, criada por um grupo de cinco investigadores, é "única no mundo", por ser online, gratuita, automática e "muito intuitiva".

Actualmente, atrai cerca de 50 mil visitantes por dia.

Em causa está a plataforma Chordify (http://chordify.net), que converte qualquer música nos seus acordes.

O utilizador apenas tem de fazer upload de uma música em MP3 ou de colocar na plataforma o link de um vídeo do Youtube ou do SoundCloud.

À medida que o tema vai tocando, a plataforma "fornece" os acordes necessários para o tocar.

"O serviço funciona para qualquer canção, por mais obscura que seja. E essa é uma grande vantagem, pois outros sites constroem bases de dados de acordes manualmente, tendo apenas os artistas famosos", refere José Pedro Magalhães, citado pelo jornal online da UMinho.

Acrescenta que o tratamento "muito correcto" da transcrição é outra mais-valia, tornando o sistema "ideal" para compositores, músicos e não só.

De momento, o tema mais popular é "Wherever you are", dos australianos 5 Seconds of Summer.

O informático de 29 anos, natural de Vila Nova de Gaia, admite que não esperava "tamanha adesão" da comunidade mundial em tão pouco tempo.

"Passámos de 500 visitas por dia para mais de 50.000, ou seja, atingiu-se um milhão e meio de visitas em menos de um ano de existência", sublinha.

Ex-aluno da licenciatura em Engenharia de Sistemas e Informática da UMinho, José Pedro Magalhães é o único português envolvido na criação daquela plataforma.

Lusa/SOL




64 Comentários
nussexum
26.11.2013 - 12:01
USA mascara
JoaquimVaz1234
25.11.2013 - 20:53
xxxxxxxxxxxxxxx
JoaquimVaz1234
25.11.2013 - 13:14
«Mário Soares é fixe»!
Como pode estar xexé?

Como se pode ter o desplante de «pedir» a demissão a um tempo do PR e do PM?

Que consequências, se isso acontecesse?

Já se esqueceu (e parece que alguns portugueses também) que, quando era PM seguiu uma linha de rumo semelhante à dos actuais governantes?

Eu ainda me lembro dos cortes que fez nos meus proventos…

«…contra o prolongamento do eanismo (e da influência politica dos militares do MFA…»

Não brinque comigo…Então o senhor não vê Vasco Lourenço acompanhar Mário Soares nos desconchavos actuais?

Pois é…
«Mário Soares é fixe»!
Como pode estar xexé?

Só os funcionários públicos (os políticos não) é que têm de abandonar o cargo no dia em que perfazem 70 anos, por presumível insanidade mental!

«Mário Soares é fixe»!
Como pode estar xexé?







JoaquimVaz1234
25.11.2013 - 13:12
xxxxxxxxxxxxx
lillyrose
25.11.2013 - 12:17
E os velhos portugueses a morrerem à FOME, todos os dias, também estão a evoluir favoravelmente??????País vergonhoso, país de porcos e de gatunos, ladrões dos pobres!
lillyrose
25.11.2013 - 12:15
Portugal só atrai la crème de la crème de la ***!
clarificador
25.11.2013 - 02:50
Bom,irei ser sintético,mas como de costume...CLARO.
__
Em lugar primeiro e à partida,NÃO se vai a esse tipo de lugares OBRIGADO;a/o cidadã/o,vai de LIVRE e EXPONTÂNEA VONTADE((também maior,na posse plena das faculdades mentais e físicas suas)) e é com base neste e mantendo este princípio,que prosseguirei a clarificação minha em comentário.
__
No Mundo meu((clarificador)),o Mundo Virtual da Discriminação Inteligente,Razoável e Equilibrada((MVDIRE)),também existem bares de alterne e a PROSTITUIÇÃO É LEGALIZADA.
__
A partir daqui,das (2)duas UMA :quem lá vai e frequenta este género de estabelecimentos e actividades tem um estado civil DIFERENTE de |CASADO/a| e não tem compromisso ou relacionamento sério outro e ESTÁ TUDO BEM OU((sentido exclúsivo))NÃO.
__
No MVDIRE meu,quando a/o cidadã/o é detectada/o em ambientes de prostituição com |Casado/a| no B.I. Virtual,É SEM APELO NEM AGRAVO IMPELIDO para o estado civil NOVO de |Virtual Divorciado Culpado| e a partir desse instante discriminado negativamente de acordo com a Lei do MVDIRE meu,como por exemplos de medidas,verá os impostos e taxas serem-lhe agravados 2,5%,entre outras.Isto por que,os EMBUSTES de Casamento no Mundo meu NÃO COMPENSAM para os SABOTADORES,pois tal como ai no mundo concreto,NÃO SE OBRIGA o CIDADÃO a CASAR,mas SE este TENTA ENGANAR esta SOCIEDADE VIRTUAL do Mundo meu,FAZENDO CRER que TEM uma RELAÇÃO ESPECIAL com uma Mulher ou Homem e que esta SERÁ DIGNA de SE DENOMINAR CASAMENTO QUANDO se VEM a REVELAR que NÃ0,o sistema discriminativo aqui((MVDIRE)vigente ACTUA,não corroborando na farsa,pelo contrário,desmontando-a.
__

No Mundo meu,até agradecemos a existência deste tipo de estabelecimentos e actividades,pois AJUDA-NOS a DISCRIMINAR,os CIDADÃOS que TÊM RELAÇÕES HUMANAS SÉRIAS DOS...outros.Em Discriminação Inteligente,a Prostituta à partida((desde que não conste como casada no B.I nem esteja a enganar alguém..)) NÃO TEM CULPA,QUEM TEM CULPA,é o Homem ou Mulher que se DIZ CASADO/A e NÃO CORRESPONDE,designadamente,abstendo-se de utilizar os serviços destas profissionais do sexo,numa demonstração expontânea de autocontrolo derivada do SUPOSTO afecto profundo que nutrirá pelo cônjuge.

_
__

Clarificação concluída.
clarificador
25.11.2013 - 02:04
1
pedrox
25.11.2013 - 00:56
O senil xexé rancoso do do Mário Chulares em 1983 torou-nos o 13 mes ,o cabarao já deve estar esquecido ,e das bandeiras negras da fome da peninsula de Setubal ...ainda hioje estou á espera do subsidio de Natal que ele me roubou...O patife nessa altura nao se dimitiu ...Porque ?
pedrox
25.11.2013 - 00:50
O voto do povo legitima qualquer governo ,portanto democracia é poder votar e eleger quem queremos .Quem não respeita o voto do povo, nao respeita o povo ,......Clarissimo...´Quem faz apelos á Violencia não é Democrata ,um entende-se porque anda irritado ...tiraram-lhe 30 % a sua fundação...o outro está gordo que nem uma lontra e reformado desde os 42 anos,naõ se entende... se nao chega para a grade de cervejas que bebes.......bebe menos ...Vasquinho..
Quanto ao senil, ressabiado rancoroso do Mário chulares nem vale a pena falar..
Rufia
24.11.2013 - 22:56
????
factos
24.11.2013 - 22:00
Isto e que vai aqui uma açorda..kkkkkk
JoaquimVaz1234
24.11.2013 - 21:33
Eanes: um homenageado que já não é do nosso tempo
Carapeteiro
24.11.2013 - 19:04
Se privatizarem as cadeias e os presos pagarem para lá estar (princípio do utilizador pagador aplicado nas SCUTs) tudo ficará a funcionar sobre rodas. Não sei como é que o governo privatizador ainda não se lembrou disso. E também podiam privatizar polícias, tribunais e governo. O PR ficava a fazer o papel de autoridade reguladora.
jcesar
24.11.2013 - 18:25
mirodri
23.11.2013 - 23:38

Nos meus comentários digo sempre aquilo que penso, ao contrário de si e outros que tentam enganar os Portugueses, pensam que são todos totós.

O que escrevo pode ser confirmado por qualquer um.

E gosto de malhar neste Governo que até dizia que era fácil pôr as contas públicas em ordem, diziam eles que para isso bastava Sócrates deixar de ser PM.

Estão a fazer tudo ao contrário do que prometeram aos eleitores, e vamos de mal a pior todos os dias, o único sucesso é terem aumentado a pobreza a miséria, o desemprego, a emigração, enquanto o núcleo dos mais ricos aumenta, assim como as suas fortunas.

E o sol está como o Governo, sem estratégia, e sem rumo, só permite comentários nalgumas notícias, e até aparecem os mesmos comentários em 4 notícias diferentes.

Para mim era um passa tempo ao final do trabalho, e ao fim de semana, mas assim não dá ânimo nenhum comentar.
JoaquimVaz1234
24.11.2013 - 18:25
Sim,sim,Vinagrete: Conbcordo consigo!
Mas agora reparo: o meu comentário sobre
«As descoradas Mães de Bragança» aparece em todos os artigos de Pedro d'Anunciação...
JoaquimVaz1234
24.11.2013 - 17:51

As descoradas Mães de Bragança

Uma primeira consequência do movimento conflito, galgando fronteiras nacionais, nomeadamente por efeito de uma reportagem da Time em Outubro de 2003, como diz Pd’A.

Curiosos vindos de Espanha e de outros países europeus passaram a frequentar Bragança e a desfrutar dos prazeres de «alterne» numa cidade tradicional que passou a estar no mapa das rotas do turismo sexual, também por efeito da sua localização fronteiriça.

Uma segunda consequência foi a contra-maré de protestos reactivos em defesa das brasileiras e conversas, suspeitas e lamentos. Espiavam-se as listas de contactos e de chamadas dos telemóveis para fundamentar a crítica à suposta incapacidade das “pudicas mães” darem satisfação sexual aos seus maridos.

Efectivamente, as brasileiras - ao que se diz – fazem um «trabalhinho» e sempre valem mais duas «para-esposas» de 30 anos cada uma do que uma «descorada» «mãe de Bragança» com 60 anos!

«Só as tais Mães de Bragança é que se queixavam, e acusavam o bar e a prostituição de estar a esfrangalhar os lares locais. Longe de mim defender a prostituição. Mas como católico, sigo o ensinamento de Jesus e, ao contrário das Mães de Bragança e das autoridades que as seguiram, recuso-me a atirar a primeira pedra.»…

Já que fala de uma metáfora dos ensinamentos de Jesus, será que «O Livro» não contém também preceitos contra o adultério e a prostituição? E não será que, o adultério é um crime?

Quanto ao fundamento do problema – considere-se um flagelo ou não – Pd’A diz «nim»! Eu já suspeitava que Pd’A é católico!

Católico à sua maneira, tolerando chulos proxenetas a viverem dó trabalho (perguntem a Inês Pedrosa se Sexo é trabalho) das prostitutas…


O tema é das maior importância social e sobre ele se debruçaram numerosos estudiosos e sociólogos, não só em Portugal, como também no estrangeiro:

Nomeadamente,

- Maria Filomena Mónica, «A Evolução dos Costumes em Portugal, 1960-1995»
- António Barreto, « Situação Social em Portugal, 1960-1995»
- João de Pina Cabral, «O Homem na Família. Cinco Ensaios de Antropologia».
-. Manuela Ribeiro, Manuel Carlos Silva, Fernando Bessa Ribeiro e Octávio Sacramento, «Prostituição Abrigada em Clubes (Zonas Fronteiriças do Minho e
Trás-os- Montes. Práticas, Riscos e Saúde»
- Comissão para a Igualdade e para os Direitos das Mulheres,
- Octávio Sacramento, «’Vidas na Raia. Prostituição Feminina em Regiões de Fronteira.»
Armando Fernandes, «Contrastes e Transformações na Cidade de Bragança:» 1974

Pedro d’Anunciação como sempre: um autêntico «pudim Flã»!




JoaquimVaz1234
24.11.2013 - 17:48
«Mário Soares é fixe»!
Como pode estar xexé?

Como se pode ter o desplante de «pedir» a demissão a um tempo do PR e do PM?

Que consequências, se isso acontecesse?

Já se esqueceu (e parece que alguns portugueses também) que, quando era PM seguiu uma linha de rumo semelhante à dos actuais governantes?

Eu ainda me lembro dos cortes que fez nos meus proventos…

«…contra o prolongamento do eanismo (e da influência politica dos militares do MFA…»

Não brinque comigo…Então o senhor não vê Vasco Lourenço acompanhar Mário Soares nos desconchavos actuais?

Pois é…
«Mário Soares é fixe»!
Como pode estar xexé?

Só os funcionários públicos (os políticos não) é que têm de abandonar o cargo no dia em que perfazem 70 anos, por presumível insanidade mental!

«Mário Soares é fixe»!
Como pode estar xexé?







Portugalix
24.11.2013 - 17:02
O jornal o Sol agora só deixa comentar onde entendem à boa maneira dos matumbas, não fosse este jornal de maioria Angolana. Que tristeza……o país está numa miséria nunca vista a não ser nos tempos dos fascistas ou pior.
JoaquimVaz1234
24.11.2013 - 16:57

As descoradas Mães de Bragança

Uma primeira consequência do movimento conflito, galgando fronteiras nacionais, nomeadamente por efeito de uma reportagem da Time em Outubro de 2003, como diz Pd’A.

Curiosos vindos de Espanha e de outros países europeus passaram a frequentar Bragança e a desfrutar dos prazeres de «alterne» numa cidade tradicional que passou a estar no mapa das rotas do turismo sexual, também por efeito da sua localização fronteiriça.

Uma segunda consequência foi a contra-maré de protestos reactivos em defesa das brasileiras e conversas, suspeitas e lamentos. Espiavam-se as listas de contactos e de chamadas dos telemóveis para fundamentar a crítica à suposta incapacidade das “pudicas mães” darem satisfação sexual aos seus maridos.

Efectivamente, as brasileiras - ao que se diz – fazem um «trabalhinho» e sempre valem mais duas «para-esposas» de 30 anos cada uma do que uma «descorada» «mãe de Bragança» com 60 anos!

«Só as tais Mães de Bragança é que se queixavam, e acusavam o bar e a prostituição de estar a esfrangalhar os lares locais. Longe de mim defender a prostituição. Mas como católico, sigo o ensinamento de Jesus e, ao contrário das Mães de Bragança e das autoridades que as seguiram, recuso-me a atirar a primeira pedra.»…

Já que fala de uma metáfora dos ensinamentos de Jesus, será que «O Livro» não contém também preceitos contra o adultério e a prostituição? E não será que, o adultério é um crime?

Quanto ao fundamento do problema – considere-se um flagelo ou não – Pd’A diz «nim»! Eu já suspeitava que Pd’A é católico!

Católico à sua maneira, tolerando chulos proxenetas a viverem dó trabalho (perguntem a Inês Pedrosa se Sexo é trabalho) das prostitutas…


O tema é das maior importância social e sobre ele se debruçaram numerosos estudiosos e sociólogos, não só em Portugal, como também no estrangeiro:

Nomeadamente,

- Maria Filomena Mónica, «A Evolução dos Costumes em Portugal, 1960-1995»
- António Barreto, « Situação Social em Portugal, 1960-1995»
- João de Pina Cabral, «O Homem na Família. Cinco Ensaios de Antropologia».
-. Manuela Ribeiro, Manuel Carlos Silva, Fernando Bessa Ribeiro e Octávio Sacramento, «Prostituição Abrigada em Clubes (Zonas Fronteiriças do Minho e
Trás-os- Montes. Práticas, Riscos e Saúde»
- Comissão para a Igualdade e para os Direitos das Mulheres,
- Octávio Sacramento, «’Vidas na Raia. Prostituição Feminina em Regiões de Fronteira.»
Armando Fernandes, «Contrastes e Transformações na Cidade de Bragança:» 1974

Pedro d’Anunciação como sempre: um autêntico «pudim Flã»!










PUB
PUB
Siga-nos
Siga o SOL no Facebook


© 2007 Sol. Todos os direitos reservados. Mantido por webmaster@sol.pt