Corpos com “sinais de tortura” encontrados em Sumy, diz presidente da câmara

Para além dos corpos encontrados, há ainda pessoas desaparecidas, cujo o destino “permanece uma incógnita”, diz Dmytro Zhyvytskyi. 

Dmytro Zhyvytskyi, presidente da Câmara de Sumy, na Ucrânia, revelou esta quarta-feira que o número de corpos de civis encontrados na região tem vindo a "aumentar todos os dias" e revelam "sinais de tortura", como tendo as "mãos atadas". 

"Há mais de 100 civis mortos na região de Sumy. Infelizmente, este número cresce todos os dias", disse Zhyvytsky, citado pela CNN. "Muitas destas pessoas são encontradas mortas com as mãos atadas e sinais de tortura, baleadas na cabeça", complementou. Para além dos corpos encontrados, há ainda pessoas desaparecidas, cujo o destino "permanece uma incógnita". 

O autarca salienta que a região, apesar de estar sob controlo ucraniano desde o dia 8 de abril, ainda não é segura, uma vez que "existem muitas áreas minadas e inexploradas".