Desporto

Itália. Icardi em guerra aberta com o Inter de Milão

O avançado argentino rejeitou sucessivas propostas de renovação e viu agora ser-lhe retirada a braçadeira de capitão, alegadamente por se ter recusado a jogar esta quinta-feira na Liga Europa

A relação entre o Inter de Milão e o seu capitão, Mauro Icardi, está mais fria do que nunca. Ex-capitão, aliás, pois o gigante italiano decidiu esta quarta-feira retirar a braçadeira ao avançado argentino, tendo comunicado a decisão numa breve publicação nas redes sociais e sem qualquer justificação.

 

 

A explicação, avançada pela imprensa italiana, prende-se com as sucessivas respostas negativas de Icardi às propostas de renovação, com o atacante de 25 anos a exigir um aumento considerável. Algumas horas depois, o Inter revelou a lista de convocados para o jogo desta quinta-feira com o Rapid Viena, para os 16-avos-de-final da Liga Europa, e Icardi não era um dos nomes escolhidos por Luciano Spalletti - ao contrário do português Cédric.

O técnico italiano, todavia, acabaria por garantir que foi uma decisão do próprio Icardi ficar de fora da partida. "A decisão de retirar a braçadeira a Icardi foi difícil e dolorosa, mas absolutamente compartilhada por todos os membros do clube e foi tomada para o bem do Inter. Ele foi convocado para Viena, mas não quis ir. Claro que não foi agradável, há algumas coisas que o perturbam a ele e à equipa, mas agora temos de pensar no jogo frente ao Rapid", salientou Spalletti.