Economia

“Homem das contas certas que afinal não faz contas com ninguém” recebido em clima de exaltação no Mondego

A PSP foi chamada ao local para interromper os protestos dos lesados do BES.

 

No âmbito da campanha para as Europeias, do próximo dia 26 de maio, Pedro Marques e António Costa rumaram a Coimbra. Contudo, no Largo da Portagem, perto do Mondego, membros do grupo de lesados do papel comercial vendido pelo antigo Banco Espírito Santo (BES) aguardavam o secretário-geral e o líder do PS.

"Este é o único partido que, até à data, não nos recebeu. Todos os partidos nos têm recebido com educação. Estes senhores do PS não recebem os lesados de maneira nenhuma”, afirmou o porta-voz do grupo à TSF. A verdade é que alguns manifestantes envergavam t-shirts de apoio aos socialistas mas o tumulto gerou-se depressa.

“Somos PS e lesados!” foi uma das frases mais ouvidas durante os protestos que, segundo um dos  que falou à TSF, continuarão “até onde o PS e todos os partidos forem”. De todos os lesados, somente 1% não aceitou a proposta governamental para mitigar o prejuízo.

Recorde-se que, em janeiro, o Governo aprovou uma garantia de 152,8 milhões de euros para auxiliar os clientes do BES através da Patris, a gestora da recuperação dos créditos, para que o montante seja pago aos clientes que aderiram à solução proposta. Isto é, quem tenha aplicações até 500 mil euros recebe 75% do seu investimento até um máximo de 250 mil euros. Os montantes superiores a 500 mil euros são devolvidos em 50% do seu valor. 

A polícia interveio para separar os manifestantes dos representantes do PS.