Sociedade

Irão os lobos sobreviver ao homem?

Em Portugal, as histórias do lobo mau fazem parte do imaginário popular e tornaram o maior carnívoro da natureza portuguesa um inimigo temido por homens desde tempos remotos. 


A verdade, porém, é que, nesta batalha, é o lobo ibérico quem está em clara desvantagem em relação ao homem, tendo mesmo  o estatuto ‘Em Perigo’ da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), que segue a conservação das espécies em todo o mundo. É por isso uma espécie protegida por lei, o que significa que é ilegal fazer-lhes qualquer mal.

Para se ter uma ideia, estima-se que esta subespécie do lobo-cinzento - do qual se distingue por ser um pouco menor e mais esguia - e que apenas existe na Península Ibérica, ocupe apenas 20% do território continental do país, enquanto que, no início do século XX existia em todo o território continental. Os cientistas estimam que existam 300 animais nestas alcateias e, na Península Ibérica 2 mil.

Considera-se que existem duas populações separadas pelo Douro, uma ao norte deste rio, numa área montanhosa que ocupa as províncias do Minho, Trás-os-Montes e Alto Douro e parte do Douro Litoral. 

O Parque Nacional da Peneda-Gerês; o Parque Natural do Alvão; o de Montesinho e o Parque Natural do Douro Internacional são as áreas protegidas consideradas fundamentais para a sua preservação.

Já a sul do grande rio ibérico, a população de lobos, que abrange apenas 10 alcateias e encontra-se isolada em relação à população do Norte do Douro, está em declínio, podendo mesmo extinguir-se, apontam os estudos realizados pelos especialistas. 

Nos anos 80, Francisco Pretucci-Fonseca, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, criou o Grupo Lobo para recuperar estes animais em perigo. 

Em 1987, foi criado o  Centro de Recuperação do Lobo Ibérico para providenciar aos lobos que não possam viver em liberdade um ambiente adequado; posteriormente surgia o Programa Cão de Gado, para proteger os rebanhos e os lobos através da recuperação de raças de cães de guarda tradicionais.

Atualmente, decorre, entre outros, o projecto europeu Life MedWolf, que desenvolve estratégias de coexistência pacífica entre os grandes carnívoros e o Homem. Para evitar que estes lobos, responsáveis pelo equilíbrio dos ecossistemas (porque os grandes herbívoros deixam de ser caçados e destroem culturas agrícolas, por exemplo), não desapareçam do planeta.

Saiba mais aqui.

Os comentários estão desactivados.