Politica

António Barreto: ‘Morreu um velho grande amigo’

O sociólogo António Barreto lamentou hoje a morte de José Medeiros Ferreira, afirmando que "morreu um velho grande amigo" e um "político excepcionalmente perspicaz".

"Morreu um velho grande amigo, um ilustre cidadão português, um intelectual e um político excepcionalmente perspicaz", disse à agência Lusa António Barreto.

O sociólogo lembrou o percurso do historiador e político José Medeiros Ferreira e a sua luta pela liberdade.

"Foi um grande lutador pela liberdade e foi um dos principais autores da integração europeia no seu início, ele acreditou quando a maior parte dos portugueses duvidava ou contrariava", comentou.

Para António Barreto, o "fio condutor" do percurso político de Medeiros Ferreira foi "a liberdade antes do 25 de Abril", quando se vivia em ditadura.

Outro aspecto desta luta pela liberdade de Medeiros Ferreira, assinalada pelo sociólogo, foi a "defesa, desde sempre, da autonomia açoriana".

"Era um homem muito inteligente e culto e era capaz de detectar ou de perceber muitos sinais, que para a maior parte das pessoas ainda eram incógnitas", disse António Barreto, concluindo "Ele percebia os sinais do tempo com muita antecipação".

Em 1978, Medeiros Ferreira e outros elementos da ala direita e reformista do Partido Socialista, como António Barreto e Francisco Sousa Tavares, saíram do PS para criar no Movimento Reformador ou Movimento dos Reformadores que em 1979 se juntaria à Aliança Democrática de Sá Carneiro.

José Medeiros Ferreira, que morreu hoje, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, foi o ministro dos Negócios Estrangeiros que laborou no processo de adesão de Portugal à Comunidade Europeia.

Lusa/SOL