Opiniao

Viver para contar

A noite, para quem vive dela ou quem se usa da mesma só para se divertir, seja para se aproximar de alguém, seja para afogar mágoas, para se abstrair de algo, ou ainda para se extroverter, proporciona momentos a todos os que se predispõem naturalmente a isso, que acabam por acrescentar algo bem diferente do dia.

Viver para contar

Para começar, está e estará sempre envolta num qualquer misticismo, caixinha de segredos, talvez por estar associada à própria escuridão em si, ao álcool, às drogas, aos comportamentos menos dignos que levam por vezes 'as almas ' mais tranquilas a participarem em cenários menos prestigiantes e por vezes até a revelarem aquilo que escondem atrás de uma qualquer gravata ou estatuto social. Uma desculpa.

Eu pessoalmente acho que a noite nos permite acrescentar histórias ao nosso diário, que evocamos invariavelmente com o passar dos anos como um orgulho de quem já viveu muitas coisas boas para contar.

Lembro-me de um filme, há alguns anos, em que o actor Billy Crystal interpretava um professor com os seus 50 e poucos anos acabado de se divorciar. Essa mesma personagem passava um momento de grande vazio interior e tomou a decisão de se suicidar. Dizia ele em conversas com um amigo que ao chegar àquela idade olhava para trás e não se lembrava de um vício, de um copo até mais tarde, de uma loucura de agarrar numa miúda e acabar a jantar em Paris. Olhava para trás e não tinha tido momento algum especialmente marcante. Não tinha histórias para recordar.

A noite existe precisamente para nos quebrar o dia e o dia para nos quebrar a noite, senão a vida seria um tédio, da mesma forma que um set de um dj tem de ter quebras - ou seja, músicas mais calmas para que as pessoas possam de facto 'explodir' quando aparecem os grandes hits, músicas para as pessoas irem ao bar beber algo. Se as mesmas forem todas para dançar, a pista estará cheia mas o bar não facturou.

Acredito que o nosso trajecto deva ser feito de equilíbrios - o que é bem diferente de ter uma vida monocórdica ou desenxabida. Por isso esse filme me marcou tanto: é importante viver as situações pelas razões certas e a noite, quando é vivida para contar, assume por vezes contornos fascinantes!

Sugestões

Club:

Il Muretto (Veneza, Itália)

Músicas:

Cool You Off (original mix) - EDX

Sweet Baby (original mix) - Mickey

Os comentários estão desactivados.