Desporto

Quem de 30 tira 7

A lesão de Hélder Postiga é talvez a maior dor de cabeça do seleccionador nacional em vésperas de serem divulgados os jogadores que vão representar Portugal no Mundial do Brasil.

Com a revelação esta semana, por imposição da FIFA, dos 30 nomes que integram a pré-convocatória, parecem restar apenas pequenos acertos entre os vários sectores da equipa para ficar definida a lista final de 23, que será anunciada esta segunda-feira. 

As dúvidas que sobram passam por quem será o terceiro guarda-redes, quais as alternativas aos laterais titulares, quantos médios acabarão preteridos e como equilibrar as escolhas dos extremos com as dos pontas-de-lança – tendo em conta a condição física de Postiga e a capacidade de dois dos extremos, Cristiano Ronaldo e Ivan Cavaleiro, poderem actuar na frente de ataque.

Para o Euro-2012, Paulo Bento optou por levar três pontas-de-lança de raiz: Postiga, Hugo Almeida e Nelson Oliveira. Agora poderá sacrificar uma destas vagas para acrescentar um extremo, incógnita que passará a certeza se o avançado da Lazio não recuperar a tempo. 

Postiga está a contas com uma lesão no joelho (menisco) e ainda é cedo para saber se ficará apto até ao dia 12 de Junho, data do pontapé de saída da competição. Poderá até dar-se o caso de Bento chamar 24 jogadores, de modo a adiar a decisão final por mais uns dias – a FIFA só exige os 23 a 2 de Junho. Mas é seguro adiantar que, se o ponta-de-lança habitualmente titular tiver de ficar de fora, Éder estará no Brasil para fazer concorrência a Hugo Almeida.
Mais um extremo?

Neste cenário, abre-se espaço para um quinto extremo. Ronaldo, Nani, Varela e mais dois: Quaresma ganha cada vez mais força para ser um deles – o facto de estar pré-convocado afasta a ideia de que poderia falhar o Mundial por questões disciplinares; e quanto ao talento que pode emprestar à equipa não há discussão – e depois sobram Vieirinha e Cavaleiro, com vantagem para o segundo devido à mais-valia da polivalência. Já no caso de Postiga, Almeida e Éder serem chamados, nenhum deles deverá ter lugar.  

Entre o meio-campo e a defesa também há jogadores polivalentes que vão pesar na escolha final de Paulo Bento. Com os médios Rúben Amorim e Miguel Veloso adaptáveis à posição de lateral, o seleccionador deverá chamar apenas um suplente natural para João Pereira e Fábio Coentrão: André Almeida. Antunes tem a desvantagem de só jogar à esquerda. Outro excluído do sector recuado será um central e Rolando é o principal candidato, à frente de Ricardo Costa, também ele um possível lateral improvisado.

Tal como no Euro-2012, é de esperar que Paulo Bento volte a escolher sete defesas e seis médios, o que deixaria apenas uma vaga para os jovens Rafa, André Gomes e João Mário. O primeiro é mais ofensivo e pode oferecer soluções diferentes; os outros dois assemelham-se mais a Moutinho e Meireles.

Quanto à baliza, o seleccionador terá de escolher entre Eduardo e Anthony Lopes.

Dentro de três dias ficarão descartados os sete jogadores que, tal como Josué, Danny, Adrien ou Nelson Oliveira, vão ter de assistir de fora ao Mundial do Brasil.

Bélgica

Januzaj preferiu os belgas

Era disputado por Kosovo, Inglaterra, Albânia, Sérvia e Turquia, mas a nova estrela do Manchester United acabou por escolher a Bélgica para se estrear nestas andanças. Adnan Januzaj, de 19 anos, é o principal destaque entre os 24 pré-convocados do técnico Marc Wilmots.

Apontados como uma das potenciais surpresas no Mundial, os belgas apresentam-se no Brasil com Hazard (Chelsea), Courtois (At. Madrid) e Kompany (Man. City) a liderar uma lista que conta com Axel Witsel, ex-Benfica, e o médio do FC Porto Defour.

Espanha

Renúncia chegou via Twitter

Sem espaço nos 30 eleitos do seleccionador espanhol, Arbeloa disse adeus à Roja. “Encerra-se uma etapa muito bonita para mim e só me resta desejar-lhes toda a sorte”, escreveu no Twitter. O lateral do Real Madrid não foi o único campeão do mundo em 2010 a ficar de fora. Por lesão ou opção, Del Bosque prescindiu de Marchena, Puyol, Capdevila e Víctor Valdés. Isco, médio do Real Madrid, é outra ausência notada.

Em sentido inverso estão os estreantes Carvajal, Iturraspe e De Gea, e nomes como Alberto Moreno ou Diego Costa, recém-chegados à equipa. A lista final será anunciada segunda-feira.

França

Deschamps tem nova inimiga

Sem que nada o fizesse prever, o francês Samir Nasri ficou de fora do lote de 23 jogadores que Didier Deschamps vai levar ao Mundial.

A resposta não tardou. Não por parte do jogador, mas da namorada. Entre tweets carregados de expressões menos próprias, a modelo britânica insultou a França e o seu seleccionador. Deschamps explicou a ausência com a dificuldade que Nasri tem para lidar com a condição de suplente. 

Abidal também vai ficar em terra, enquanto o portista Mangala segue na comitiva.

Argentina

Rinaudo sim, Tévez não

Ainda Diego Armando Maradona se passeava pelos relvados, em 1986, quando a Argentina celebrou o último título mundial. De forma a contrariar o jejum, Alejandro Sabella decidiu inovar na convocatória. Rinaudo, emprestado pelo Sporting ao Catania, Enzo Pérez (Benfica), Demichelis (Man. City) e Gabriel Mercado (River Plate) foram convocados para surpresa geral. 

Marcos Rojo (Sporting) e Ezequiel Garay (Benfica) também mereceram a confiança do seleccionador, ao passo que Carlos Tévez (Juventus), Javier Pastore (PSG) e Wilfredo Caballero (Málaga) vão ver o Mundial pela televisão.

Brasil

Canarinha sem ‘cromo’ em campo

Foi considerado um dos jogadores mais habilidosos dos últimos tempos, o Real Madrid chegou a pagar 43 milhões de euros para o resgatar ao Santos em 2005, mas Robinho, que até teve direito a cromo na caderneta da Panini, falhou a convocatória para o Mundial. 

Miranda e Filipe Luis, a realizarem uma excelente época no Atlético de Madrid, também perderam a primeira chamada de Scolari, mas integram a lista de jogadores de prevenção, a par de Lucas Moura.

rui.antunes@sol.pt