Cultura

As exigências nada loucas dos artistas do Rock in Rio

Fruta, água e rock’n’roll é o novo sexo, drogas e rock’n’roll – pelo menos a julgar pela lista de pedidos que as estrelas do Rock in Rio Lisboa fizeram à organização.

Nem os dinossauros do rock, os Rolling Stones, nem os reis do stoner rock, os Queens of the Stone Age, escapam à tendência. O backstage do Rock in Rio poderia assemelhar-se a um retiro zen, não fossem os decibéis debitados por próprios artistas.  

Os Rolling Stones continuam a ser uma das bandas mais exigentes para qualquer organização, mas a lista de produtos solicitados para os camarins durante o concerto de 29 de Maio denota que a idade começa a pesar. Muita água e muita fruta, pedem os Stones. Para uma refeição um pouco mais substancial, os ingleses querem sandes de frango em pão branco, sem qualquer condimento, e – a loucura – uma tarte de carne para oito pessoas. 

Mas há especificidades: os produtos têm de ser distribuídos por três frigoríficos e não podem ser misturados. Pedem uma chaleira eléctrica de aço e inoxidável. E nada de pratos nem colheres de plástico. 

E o pormenor mais interessante: exigem acesso a uma pista de atletismo. Para queimar calorias?

Os Queens of the Stone Age, cabeças de cartaz a 30 de Maio, pedem “uma alimentação saudável, criativa, que inclua ervas frescas, comida caseira, legumes da época e proteínas”. Pedem leite de cânhamo sem açúcar e leite de amêndoa.

Para temperar, canela em pó vietnamita e sal marinho dos Himalaias. Para beber, água de côco e refrigerantes e sumos naturais.

Robbie Williams, estrela maior do dia de arranque do festival, 25 de Maio, quer leite de amêndoa e de arroz, uma máquina de sumos, e muitos vegetais, frutas e gengibre. O inglês proíbe expressamente a entrada de bolos e sobremesas no seu camarim.

No mesmo dia, a saltitante Ivete Sangalo exige águas e refrigerantes, côcos verdes à temperatura ambiente e uvas sem caroço. A fruta tem de ser lavada com água e sabão. Para a refeição principal, a brasileira e a banda pedem cem peças de sashimi.

Os Arcade Fire, que actuam a 31 de Maio, também têm a exigência expressa de “pratos saudáveis, com pouca gordura, frescos e com produtos da época”. 

A debutante Lorde, adolescente sensação da Nova Zelândia que actua no mesmo dia dos canadianos, quer uma taça com frutas e vegetais orgânicos, húmus orgânico e iogurtes gregos magros. Para beber, em palco só quer água. Mas depois do concerto vem a desforra: pede uma grade de cerveja gelada. Light?

Também Jessie J, cabeça de cartaz a 1 de Junho, pede muita fruta, sumos e água. Mas avisa que não pode comer nada que contenha nozes, kiwi ou ananás. 

A destoar da tendência saudável estão os portugueses. João Pedro Pais (1 de Junho) quer uma tábua de queijos, pão tradicional e doces regionais. E cerveja e vinho tinto para acompanhar. 
Os Deolinda (31 de Maio) também alinham no tinto, e pedem queijos e enchidos regionais, bolachas, biscoitos e chocolates. E uma tábua de passar a ferro.

SOL