Politica

'Governo não perdeu legitimidade'

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, considerou hoje que o resultado das eleições europeias de domingo permitiu "mostrar a bondade" da política seguida pelo Governo e rejeitou qualquer "diminuição de legitimidade" da coligação PSD/CDS-PP.  


Para Rui Machete, o resultado foi "bastante positivo", salientando que não se verificou "uma situação catastrófica, aquilo que se dizia que ia ser, após três anos de austeridade". 

Um sinal que, considerou, permite "mostrar a bondade da política que foi seguida e dos seus resultados positivos que agora haverá oportunidade de retirar, se não houver nada de inesperado que aconteça". 

Questionado sobre se o Governo deverá retirar as devidas ilações políticas dos resultados eleitorais, como o PS tem reclamado, Rui Machete considerou que "há de haver" ilações, mas escusou-se a tecer mais comentários.

Sobre a realização de eleições antecipadas, o governante disse que esse cenário "não tem sentido nenhum". 

"Isso não se punha em nenhuma circunstância. Uma coisa são eleições europeias, outra coisa são legislativas internas. Agora nem sequer as diminuições de legitimidade ocorreram", sublinhou.

O PS foi o partido com mais mandatos nas eleições europeias de domingo depois de apurados os resultados em todas as 3.092 freguesias de Portugal e em 54 dos 71 consulados, segundo dados da Direcção Geral de Administração Interna (DGAI).

Os resultados indicam sete deputados (31,45%) para o PS, seis (27,71%) para a Aliança Portugal (PSD/CDS-PP), dois (12,68%) para a CDU (PCP-PEV), um (7,15%) para o Partido da Terra (MPT) e outro (4,56%) para a Bloco de Esquerda, faltando atribuir quatro dos 21 mandatos de Portugal no Parlamento Europeu, que dependem dos resultados no estrangeiro.

Lusa/SOL