Desporto

Ataques ao Qatar 2022 são “racismo”

O presidente da FIFA Joseph Blatter lançou um ataque mordaz àqueles que, diz, “estão a conspirar para destruir” a instituição (leia-se FIFA) e catalogou de “racistas” algumas das críticas sobre a atribuição ao Qatar da organização do Mundial 2022.

Blatter proferiu este contra-ataque num discurso às confederações da África e da Ásia, no congresso extraordinário da FIFA. O congresso africano, que já declarou o seu “apoio continuado” a Blatter, que pretende concorrer a um quinto mandado à frente do organismo que tutela o futebol mundial. Foi inclusive votada uma resolução onde condena aquilo que chama de ataques racistas aos seus membros por parte da imprensa britânica.

Este discurso surge na sequência das acusações e suspeitas do jornal Sunday Times acerca da atribuição da organização do Qatar. Sem referir nomes, Blatter ripostou. “Eles querem destruir-nos; eles não querem destruir o futebol, mas querem destruir a instituição [FIFA]”.

De seguida recebeu uma ovação de pé da sala quando pediu “união na FIFA”.

SOL