Sociedade

Caso Rui Pedro: Afonso Dias recorre da pena de prisão

Afonso Dias, o motorista condenado pelo rapto de Rui Pedro, o rapaz desaparecido há 16 anos em Lourosa, vai recorrer da decisão do Supremo Tribunal de Justiça, que manteve a condenação a uma pena de prisão efectiva.

Ao SOL, Paulo Gomes, o advogado de Afonso Dias, confirmou o recurso para o Tribunal Constitucional, mesmo depois do Supremo, no passado dia 5, ter reduzido a pena de cadeia de três anos e seis meses para três anos.

Para o colectivo do Supremo, Afonso praticou um crime de rapto quando levou Rui Pedro, então com 11 anos, de carro até à Lustosa para se encontrar com prostitutas. Foi aí que o rapaz foi visto pela última vez, testemunhou a prostituta Alcina Dias que o viu entrar no carro do amigo. Mas os juízes alegam que o desaparecimento do rapaz não se pode imputar, com total segurança, a Afonso Dias, nem dizer que o rapaz desapareceu em consequência desse rapto. 

E apesar de reduzirem a pena de prisão em seis meses, defendem que Afonso Dias deve cumprir pena efectiva de cadeia, dado o alarme social em torno do caso. A suspensão da pena de prisão seria vista como um "sinal de impunidade da Justiça", reconhece o colectivo presidido pelo antigo procurador-geral da República, Souto Moura.

joana.f.costa@sol.pt