Desporto

Houve de tudo no jogo da França menos os hinos

Não se entoaram os hinos porque o sistema falhou, houve golos e autogolos, bolas ao poste (três), cartões amarelos e vermelhos, um penálti e até um golo confirmado com o recurso ao chip da baliza, cujas imagens passaram nos ecrãs do estádio. Foi a primeira vez na história que uma decisão foi assim tomada. Ah, e a França ganhou, o que não acontecia na estreia de um Mundial desde 1998.

Os dois treinadores discutiram o lance mais polémico do jogo. E não estamos a falar do penálti que originou a expulsão do melhor jogador das Honduras – Palacio carregou Pogba pelas costas na área e viu o segundo amarelo. Limpo e indiscutível, tal e qual o remate de Benzema para o primeiro golo, o seu 22.º pela França.

O que os técnicos Deschamps e Luiz Suárez discutiram foi o segundo golo. Ou melhor, o autogolo. O remate de Benzema – sim sempre o mesmo – vai ao poste e depois bate na mão do guarda-redes hondurenho Valladares antes de entrar. Entrou? Sim, no recurso ao chip de baliza, as imagens passaram nos ecrãs do estádio e não deixou dúvidas. Ufa, até que enfim, anos de discussão terminaram. Certo?

 

 

Bem, o resto foi um jogo de uma só cor. O Bleu. A França dominou - as três bolas ao poste saíram todas da cabeça e pés de franceses -, mesmo sem Ribéry, que saiu da convocatória com dores nas costas. E sem cortisona, queixa-se ele, que o corpo médico francês lhe queria administrar.

Antes de tudo houve os hinos. Ou melhor, a ausência deles. Antes do início da partida, os jogadores franceses e hondurenhos entraram no estádio gaúcho e perfilaram-se para ouvir os hinos, seguindo o procedimento pré-jogo do Mundial. Mas já no momento da entrada, a música oficial da FIFA não foi executada. Os hinos também não.

Esta vitória deixa os franceses no primeiro lugar com a Suíça. Honduras e Equador partilham o último lugar.

FICHA DE JOGO

Estádio Beira-Rio, Porto Alegre.

Golos

1-0 por Benzema (g.p.), aos 45'.

(Palacios, das Honduras, foi expulso com duplo amarelo)

2-0, autogolo de Valladares, aos 48';

3-0 por Benzema, aos 72'.

 

Equipas

França

Lloris; Debuchy, Varane, Sakho, Evrà; Pogba, Cabaye, Matuidi, Valbuena; Benzema e Griezmann.

Suplentes

Giroud, Landreau, Mavuba, Mangala, Sagna, Ruffier, Digne, Sissoko, Rémy, Koscielny, Schneiderlin, Cabella.

Honduras

Noel Valladares; Brayan Beckeles, Bernárdez, Figueroa, Izaguirre; Palacios, Luis Garrido, Najar, Espinoza; Bengtson; Costly.

Suplentes

Chávez, Mario Martínez, Juan Pablo Montes, Juan Carlos García, Jerry Palacios, Marvin Chávez, Edder Delgado, Boniek, Rony Martínez, Claros, Escober, Luis López.

 

Árbitro

Sandro Ricci (Brasil)

Assistentes

Emerson de Carvalho

Marcelo Van Gasse (Brasil)

4.º árbitro

Peter O'Leary (Nova Zelândia)

 

TEMPO

(nublado)

18°C 
19 m/s vento
78% hunidade

 

SOL