Desporto

A Bélgica saiu do cabelão de Fellaini

Foi o jogador-chave: entrou aos 65 minutos e, cinco minutos depois a Bélgica empatou. Mais dez e fez o 2-1. Slimani teve apenas uma entrada infeliz.

 


A Bélgica entrou em campo com todo o favoritismo às costas. Citius, Altius, Fortius. São isso.  Mais rápidos – viram a rapidez Mertens? Mais altos, o golo de Fellaini, todo ele altura (1,94m). Mais fortes, quem tem Kompany e Van Buyten pode mandar os outros dar uma volta.

Só que estatuto e altura nem sempre são sinónimo de vitória. A Argélia fez o que pôde e conseguiu. E usou a sua melhor arma. Feghouli foi derrubado na área por Vertonghen e ele, a grande estrela da selecção magrebina,  marcou o penálti que deixou os argelinos na frente.

Até à entrada de Slimani. O avançado do Sporting entrou e mudou tudo, mas não como ele tinha previsto. Ou o seleccionador bielorrusso Vahid Halilhodzic.

Mas não foi culpa de Islam Slimani. Foi mais de Fellaini. E da Bélgica. São mesmo mais fortes. Já tínhamos dito?

A justiça chegou na recta final da partida. Tarde mas chegou.

 

Ficam os festejos do senhor do jogo.

 

 

 

 

 

 

 

FICHA DE JOGO

 

Estádio Mineirão, Belo Horizonte.

Golos

0-1 por Feghouli (g.p.), aos 25';

1-1 por Fellaini, aos 70';

2-1 por Mertens, aos 80'.

Equipas

Bélgica

Courtois, Alderweireld, Kompany, Van Buyten, Vertonghen; Witsel, Dembelé; Chadli, De Bruyne, Hazard; e Lukaku.

Suplentes

Mignolet, Bossut, Vermaelen, Vanden Borre, Ciman, Lombaerts, Fellaini, Januzaj, Mertens, Defour, Origi e Mirallas.

Argélia

M Bohli; Mostefa, Bougherra, Hachille, Ghoulam; Medjani, Feghouli, Taider, Boc, Mahrez e Soudani.

Suplentes

Si Mohamed, Zemmamouche, Mesbah, Cadamuro, Belkalem, Mandi, Lacen, Yebda, Djabou, Brahimi, Ghilas e Slimani.

 

Árbitro

Marco Rodríguez (México)

Assistentes

Marvin Torrentera (México)

Marcos Quintero (México)

4.º árbitro

Alireza Faghani (Irão)

 

TEMPO

(algumas nuvens)
29°C 
5m/s vento
37% humidade

 

SOL