Internacional

Juan Carlos passa o comando geral dos exércitos ao filho

Juan Carlos impôs hoje ao filho, o rei Felipe VI, a faixa de capitão geral dos três ramos militares de Espanha, cargo que o monarca assume com a chefia de Estado, numa curta cerimónia no Palácio da Zarzuela.

Um acto militar curto, que decorreu na Sala de Audiências do Palácio da Zarzuela, onde vivem os monarcas e que constitui o primeiro momento oficial do reinado de Felipe VI, que hoje começou oficialmente.

A Constituição espanhola define que "corresponde ao rei o comando supremo das Forças Armadas (Exército, Força Aérea e Marinha", representada hoje na imposição da faixa.

Sorrindo, os dois reis (Juan Carlos mantém o título) abraçaram-se, beijaram-se e depois deram um cumprimento de mãos, com Juan Carlos a saudar, primeiro, as individualidades presentes e Felipe a família real.

Felipe VI recebeu a faixa vestido com o uniforme de grande gala do Exército de Terra - casaco azul e punhos brancos, calças azuis, sapatos e meias negras, luvas brancas e condecorações - e perante algumas dezenas de individualidades, nomeadamente os responsáveis militares espanhóis.

A partir de hoje, como foi publicado no Boletim Oficial da Defesa, Juan Carlos passou à situação de segunda reserva, depois da publicação da lei orgânica que formaliza a sua abdicação para Felipe VI, que é o novo comandante das Forças Armadas.

Essa ordem, assinada pelo ministro de Defesa, Pedro Morenés, tem a data de hoje. 

O reinado de Juan Carlos terminou hoje, pouco depois das 00h00, com a publicação no Boletim Oficial de Estado (BOE) da lei que formaliza a sua abdicação e que marca o arranque do reinado de Felipe VI.

Depois da cerimónia, os reis viajam num Rolls Royce, do Património Nacional, que os levará ao longo dos cerca de 20 quilómetros que separam o Palácio da Zarzuela do Congresso de Deputados, num percurso onde foi montado também um forte dispositivo de segurança.

Felipe VI e Letizia farão a pé a parte final do percurso da Carrera de San Jerónimo, onde está o Congresso de Deputados e onde, antes de entrarem pela Porta dos Leões - que se abre apenas em situações especiais - terão honras militares.

A cerimónia histórica de proclamação de Felipe VI deverá começar cerca das 10h30 (09h30 em Lisboa).

Lusa/SOL