Internacional

EUA podem ter primeiro aumento de impostos nos combustíveis desde 1993

Dois senadores americanos, um democrata e um republicano, propõem um aumento de 12 cêntimos no imposto federal de combustíveis. A ser aceite, será o primeiro aumento de impostos do género desde 1993.

Os EUA ainda são conhecidos pelos carros potentes e gastadores, muito graças ao preço baixo do combustível – menos de três euros por um galão de gasolina, quase quatro litros. Dois senadores propõem agora um aumento do imposto nacional sobre os combustíveis de 12 cêntimos de dólar, seis este ano e outros seis no próximo.

A medida defendida por Bob Corker, republicano do Tennessee, e Chris Murphy, democrata do Connecticut, serviria para garantir fundos para os projectos rodoviários nacionais, que podem ficar sem verbas já em Agosto. Os dois propõem ainda que esse imposto passe a estar indexado à taxa de inflação anual.

Apesar de ser um aumento diminuto – o equivalente a dois cêntimos de euro por cada litro de gasolina ou gasóleo – subir impostos é uma medida extremamente impopular nos Estados Unidos, temida por qualquer organismo público ou força política. Desde 1993 que não se ‘toca’ no imposto nacional de combustíveis dos Estados Unidos.

Por cada galão (3,78 litros), o Estado Federal americano cobra apenas 18,4 cêntimos de dólar na gasolina e 24,4 no gasóleo. A esse valor acrescem os impostos estaduais, que são em média de 50 cêntimos na gasolina e 55 cêntimos no gasóleo.

Tudo somado, ao atestar o carro, um americano paga menos em impostos por cada galão, os tais quase quatro litros, do que um português em cada litro de combustível. Em média, um galão de gasolina vale 68,4 cêntimos de dólar (0,5 euros) em impostos nos EUA, ao passo que só um litro de gasolina em Portugal custa 0,87 euros em impostos. Já num galão de gasóleo americano os impostos perfazem 80 cêntimos de dólar (0,58 euros), enquanto que um litro de gasóleo luso representa 0,62 euros em impostos.

emanuel.costa@sol.pt