Sociedade

Portugueses e estrangeiros na Avenida da Liberdade para verem hortas e animais

Mostra do mundo rural na Avenida da Liberdade atrai milhares de pessoas a uma das principais artérias da cidade de Lisboa, reunindo famílias com crianças e atraindo a curiosidade de estrangeiros que visitam o país. 


Cerca das 12h00, pouco mais de duas horas após a abertura do piquenique Continente, várias famílias com crianças de várias idades enchiam a Avenida da Liberdade, com as exposições de animais, entre burros, vacas ou cabras, a registarem mais afluência.

Para Marta, mãe de Mafalda, que fará três anos em Agosto, esta mostra é importante para que a filha tenha contacto com o mundo rural.

"No ano passado também viemos, ela acha piada aos animais e às hortinhas", disse à Lusa Marta, enquanto Mafalda escondia o rosto, envergonhada.

"Convém eles perceberem que as batatas não nascem nas prateleiras dos supermercados", sublinhou, considerando esta iniciativa positiva.

"Eles [a organização] este ano têm as coisas bem preparadas porque mostram a arrancar da terra os frutos e legumes, acho que é importante", defendeu.

"É uma iniciativa que permite a todas as pessoas mostrar coisas que habitualmente não têm oportunidade de ver, principalmente os miúdos que vivem na cidade. Nós tivemos oportunidade de fazer isso nas hortas dos nossos avós", comentou,

Mas o evento não atrai só os portugueses. Vários estrangeiros de férias em Portugal aproveitaram a estadia no país para descerem a Avenida, acompanhados dos mais pequenos, como é o caso da família do norte-americano David, oriunda dos arredores de Boston, Massachusetts.

Este evento "foi uma surpresa, ficámos muito satisfeitos por estar aqui este fim-de-semana e poder ver isto", disse à Lusa David, acompanhado da mulher e dos filhos, Mathew, 9 anos, e de Olivia, 12.

Mathew lembra que nos Estados Unidos há algo de similar, "mas ver através dos olhos de uma cultura diferente foi fantástico", disse David, acrescentando que durante a estadia de férias da família em Portugal o filho ficou fã da selecção portuguesa.

Por isso, iremos "torcer por Portugal amanhã à noite", disse David a sorrir, perante o filho, que trajava uma t-shirt do Cristiano Ronaldo. Portugal defronta no domingo a selecção dos Estados Unidos.

"Os animais são muito porreiros", disse Mathew, enquanto Olivia considerou ser "fantástico ver os animais e plantas" na mostra. 

Da Alemanha, mas a viverem em Portugal há vários anos, as octogenárias Gisela Bach e uma amiga decidiram descer a Avenida para ver a exposição.

"É muito bom para os pais com crianças, para aprenderem porque elas nunca vão para a província", comentou Gisela.

A mesma posição foi defendida pela sua amiga, que lembrou que "as crianças da cidade não sabem muitas vezes o que se passa no campo", pelo que esta iniciativa é boa "para saberem como as coisas crescem e que as alfaces não crescem no supermercado".

Também Clara deu um salto hoje ao piquenique para mostrar ao filho, João Pedro, de 7 anos, o mundo rural.

"Gosto bastante, é uma iniciativa fabulosa, principalmente para os mais pequenos", já que só "têm contacto com o que vem na prateleira dos supermercados".

Para o pequeno João Pedro, o que mais lhe chamou atenção foram as "ovelhas e cabras" e nas plantas destacou as "oliveiras, os tomateiros e as macieiras".

Esta é a sexta edição do "Mega Pic-Nic Continente", que convida os portugueses a entrarem na Quinta da Selecção e a juntarem-se à festa com os melhores em campo para apoiar a produção e o futebol nacional. 

O objectivo é despertar os portugueses para a agricultura e para o consumo dos produtos nacionais.

O piquenique organizado pelo Continente conta com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, a CAP -- Confederação dos Agricultores de Portugal e Clube de Produtores Continente, representado por mais de 40 produtores nacionais.

Lusa/SOL

Os comentários estão desactivados.