Internacional

Sudanesa libertada ontem volta a ser presa

Meriam Yahia Ibrahim Ishag, a sudanesa cristã que estava grávida quando foi presa e que tinha sido libertada ontem, voltou a ser detida hoje quando tentava sair do país. 

Depois de um tribunal de recurso ter anulado a condenação à morte por apostasia e adultério, Meriam estava no aeroporto de Cartum, capital do Sudão, para seguir para os EUA com o marido de origem americana, Daniel Wani, e os dois filhos. Segundo a BBC, cerca de 40 agentes de segurança detiveram Meriam e o marido. Para já, não há informações sobre as duas crianças: uma de um ano e a outra de um mês.  

Num telefonema para a CNN, Wani relatou que estavam detidos nas instalações dos Serviços de Segurança Nacional, mas não deu mais detalhes sobre a causa da detenção. 

Meriam, filha de pai muçulmano mas criada pela mãe cristã, tinha sido condenada à morte e a 100 chicotadas, quando estava grávida, por ter casado com um cristão. No Sudão, a conversão de muçulmanos a outros cultos é punível com a pena capital. Meriam acabou por dar à luz na prisão de Cartum, em Maio. 

Entretanto várias organizações internacionais de Direitos Humanos fizeram pressão para a libertação de Meriam, o que acabou por acontecer ontem.