Internacional

Papa abençoa sudanesa condenada à morte por trocar o Islão pelo cristianismo

A sudanesa Meriam Yahya Ibrahim, condenada à morte no Sudão por ter abandonado o Islão e se converter ao cristianismo, foi esta quinta-feira abençoada pelo Papa Francisco, que lhe agradeceu o "testemunho de fé". 

EPA/OSSERVATORE
EPA/OSSERVATORE
EPA/OSSERVATORE

Meriam Ibrahim chegou esta manhã a Roma, acompanhada do marido e dos dois filhos, num avião do Governo italiano. O encontro foi privado e segundo o padre Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, decorreu em clima de "grande serenidade".

Este encontro "é um sinal de aproximação para todos aqueles que sofrem por sua fé e pela prática da fé. É um gesto que vai além do encontro e se torna um símbolo", sublinhou Lombardi. Já a sudanesa agradeceu o "grande apoio e encorajamento dados pelas orações do Papa e de muitos outros crentes e pessoas de boa vontade", segundo se lê a nota de imprensa divulgada pelo Vaticano.

Recorde-se que Meriam Ibrahim além de ter sido condenada à morte por se ter convertido ao cristianismo, foi castigada com 100 chicotadas por adultério, ao se casar com um cristão.

Meriam estava grávida na altura, o que não impediu as autoridades de a prenderem juntamente com o seu filho de 20 meses. Foi na prisão que deu à luz uma menina, gerando fortes críticas internacionais que resultaram na sua libertação e cancelamento da pena.

Mas acabou por voltar a ser detida ao tentar deixar o Sudão, acusada de usar documentação falsa. A solução passou por se refugiar na representação diplomática americana.

Veja a fotogaleria.