Internacional

Israel mata 15 pessoas refugiadas em escola da ONU

15 pessoas morreram e mais de 90 ficaram feridas depois de um bombardeamento por parte dos militares israelitas numa escola da ONU, na madrugada de quarta-feira. Em três semanas de conflito, esta é já a segunda escola da agência internacional a ser atingida.


O ataque israelita, que ocorreu às 5h30 da manhã hora local (3h30 em Lisboa), atingiu 75 locais em Gaza, incluindo cinco mesquitas que os israelitas dizem estar a ser usadas por militantes do Hamas, causando a morte a 32 palestinianos.

O bombardeamento na escola, localizada no campo de refugiados de Jabaliya e que servia de abrigo para os palestinianos, destruiu duas salas de aulas e uma casa de banho – a ONU está a abrigar mais de 200 mil refugiados nas suas escolas.

Ao 23º dia de conflito, o número de mortos, no lado palestiniano, já chega aos 1.258 e em Israel contam-se 53 soldados e três civis.

Recorde-se que na terça-feira, Israel lançou o pior ataque sobre a faixa de Gaza, que atingiu a única central eléctrica, deixando às escuras 1,7 milhões de habitantes e causando a morte a cerca de 100 palestinianos