Cultura

Shark Tank na SIC em 2015

A SIC vai emitir a partir de 2015 a versão portuguesa do programa norte-americano Shark Tank (Lago dos Tubarões), actualmente em exibição na SIC Radical, confirmou ao SOL fonte desta estação.

Shark Tank na SIC em 2015

Trata-se de um formato complexo de fazer, e caro, uma vez que exige a contratação de um grupo de empresários de topo (tycons) que irão negociar a sua participação e investimento em projectos empresariais propostos pelos concorrentes. Haverá alguém com o perfil ao mesmo tempo impiedoso e carismático dos 'tubarões' da versão norte-americana? E capaz de investir dinheiro verdadeiro nas chamadas start-ups?

50 mil fãs portugueses

O formato da produtora norte-americana Finnmax está em exibição na SIC Radical desde Janeiro de 2013, com audiências médias de 0,4%. Nos últimos quatro meses, no entanto, o programa disparou em popularidade, conquistando audiências de 0,5 % , ou seja, uma média que atinge 50 mil espectadores por emissão, isto num canal de cabo.

O programa destaca-se por ser uma alternativa aos inúmeros  talent shows da televisão portuguesa, onde se põe à prova um talento artístico. 

Aqui, no Lago dos Tubarões mostra-se a capacidade para gerir negócios que alcancem sucesso comercial, com o acompanhamento dos capitalistas do painel de jurados. As propostas dos concorrentes americanos são de todo o tipo, como é o caso do 'Bamboee', um rolo de papel de bambu, apresentado por um casal de empreendedores, que é suposto suprir de forma ecológica o equivalente a 136 rolos de papel de cozinha. 

Grande parte da dinâmica e do interesse do programa consiste na apresentação, por vezes bastante louca, dos concorrentes, e depois no desenrolar da dinâmica de negociação com os jurados. É um jogo de gestão ao vivo, onde os magnatas explicam o que um leigo não sabe: ter um produto giro para introduzir no mercado não chega para fazer lucro.

Negócios que vingam

Para quem imagine que o envolvimento dos jurados que se juntam aos concorrentes é puramente ficcional, o site da ABC faz questão de apresentar o follow up do  crescimento do negócio na vida real. E há também episódios em que mostram os produtos a serem comercializados nos grandes retalhistas norte-americanos, como é o caso de uma linha de collants apadrinhada por Barbara Corcoran - uma dos 'tubarões' com uma fortuna avaliada em mais de 40 milhões de dólares. 

Para felicidade do casal que apresentou o produto, as meias de renda com lacinhos inundaram os grandes armazéns dos EUA. Lucro para eles e uma boa percentagem para Barbara que os guiou na estratégia de levar o projecto a bom porto.

Mark Cuban - dono da equipa de basquete Dallas Mavericks - um dos mais carismáticos milionários do Shark Tank, já investiu em quase três dezenas de negócios apresentados por concorrentes e tem a ajudá-lo uma equipa de dez pessoas que acompanham os negócios celebrados no programa.

Os concorrentes que não conseguem chegar a acordo com nenhum dos investidores têm, por outro lado, acesso à enorme exposição pública e muitos acabam por ter sucesso por outras vias.

O programa tem nos Estados Unidos, uma média de seis milhões de telespectadores e era, em 2012, o programa mais visto da televisão norte-americana às sextas à noite, para um público entre os 18 e os 49. Em 2012 foi nomeado  para um Emmy. 

A sexta temporada arranca a 26 de Setembro na ABC.  E em 2015 chegará a versão portuguesa,  depois de a SIC encontrar os magnataas portugueses dispostos a investir em negócios nacionais.

telma.miguel@sol.pt

Os comentários estão desactivados.