Vida

Victoria’s Secret impedida de promover marca PINK no Reino Unido

O Tribunal Superior de Justiça do Reino Unido aceitou a queixa da Thomas Pink, que considerava que a marca PINK da Victoria’s Secret prejudicava a sua imagem. A conhecida marca de lingerie não vai poder usar PINK nas lojas ou nas etiquetas das peças.

A Thomas Pink é uma marca britânica especializada em camisas de luxo para homem e mulher, criada em meados dos anos 80. A PINK é uma linha juvenil, criada há cerca de dez anos, da conhecida marca de roupa interior sexy norte-americana Victoria’s Secret.

Aparentemente, as duas nunca iriam ‘chocar’, mas quando a Victoria’s Secret começou a abrir lojas no Reino Unido em 2012, algumas delas usando o nome PINK, as camisas ‘arregaçaram as mangas’.

A LMVH, gigante mundial de marcas de luxo, apresentou uma queixa em tribunal contra o nome PINK, dizendo que afectava a imagem tradicionalista e de luxo da Thomas Pink, que tem 100 lojas espalhadas pelo mundo, mas as principais são em Londres.

A 31 de Julho, o Tribunal Superior de Justiça deu razão à marca de luxo, argumentando que um cliente pode ser levado ao engano e entrar numa loja à espera de encontrar roupa interior, ficando desapontado.

Como a legislação nestes casos é semelhante um pouco por toda a Europa, se a Thomas Pink decidir manter a acção judicial noutros países do Velho Continente, pode continuar a ganhar batalhas.

Por outro lado, a Victoria’s Secret pode alterar a sua marca ou logótipo apenas para o Reino Unido ou para outros países europeus, mantendo a linha de roupa e as lojas que já tem.

SOL