Vida

Michael Jackson, a celebridade mais "suja" de Hollywood

"Estou a dizer-lhe, ele [Michael Jackson] era a pessoa mais suja e menos higiénica de Hollywood". Quem o garante é uma das cinco antigas empregadas de limpeza do rei do Pop, falecido em 2009, entrevistadas pelo jornal The New York Post.

As condições deploráveis em que o cantor vivia no seu rancho 'Neverland', em Los Angeles, foram relatadas pelas mulheres, entre 1986 e 2004.

"Michael por vezes corria onde os animais estavam... havia cocó por toda a casa e ele nem se preocupava", relatou uma das empregadas sobre os hábitos pouco higiénicos do cantor. "E se disséssemos alguma coisa ele ameaçava-nos", contou.

Também a visita de Oprah Winfrey foi recordada. A casa tinha sido toda arrumada, o chão encerado, as paredes e janelas lavadas. Mas a limpeza apenas durou um dia: "Ele literalmente fez xixi no chão, perto da porta de entrada, onde a Oprah tinha estado no dia anterior para o entrevistar".

Mas nem sempre Michael Jackson teve este comportamento. Na verdade, tudo começou em 1993, quando foi acusado de abuso sexual de menores, por Jordan Chandler, um rapaz de 13 anos.

"A vida dele [Michael Jackson] mudou depois de ter pago àquele rapaz para retirar a queixa. Ele tornou-se a pessoa mais porca de Hollywood", relatou outra ex-empregada.

Entre as muitas confissões ao The New York Post, surgem ainda testemunhos dos problemas do rei do Pop com as drogas e o mundo de perversão em que vivia. Desde "lutas de almofadas com amigos pela casa", "lutas de alimentos", "seringas espalhadas por todo o lado" e uma "infestação de percevejos" no sofá da sala.

Nem o quarto do cantor escapava aos problemas de higiene: "Havia meias e cuecas espalhadas pela cama e batatas fritas, frango meio comido e garrafas de vinho e uísque pelo chão", contou outra empregada, que confessou que por vezes tinham de chamar serviços extra de limpeza.