Vida

Um beijo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia

Existem os tímidos e os extrovertidos, os ‘atiradiços’ e os mais controlados, mas a verdade é que existem muitos 'beijoqueiros' por aí.  


Segundo o estudo publicado no livro ‘The Science of Kissing: What Our Lips Are Telling Us’ (‘A Ciência de Beijar: O que os nossos lábios nos dizem’, traduzindo à letra), citado pela Time, a quantidade de beijos que um casal troca é proporcional ao nível de satisfação com a relação em si. 

Tem mais impacto que sexo

Mas o primeiro beijo é o mais importante de todos. Existem 59% de homens e 66% de mulheres que já terminaram uma relação por o primeiro beijo com a outra pessoa não ter corrido bem. De acordo com os investigadores que realizaram este estudo, que se apoia na observação de 500 indivíduos, a maioria das pessoas lembra-se melhor do seu primeiro beijo do que da primeira vez que fez sexo.

A verdade é que um beijo é considerado mais íntimo do que o próprio acto sexual. Por exemplo, é sabido por muitos (basta ver o filme ‘Pretty Woman’) que as prostitutas não beijam os seus clientes, uma vez que este acto implica muitas vezes a criação de um outro tipo de relacionamento que não apenas o ‘carnal’. 

Os sociólogos Joanna Brewis e Stephen Linstead explicam neste estudo que as prostitutas recusam-se a beijar o homem com quem estão porque existe “um desejo genuíno e amor para com a outra pessoa” quando os lábios de um e outro se tocam.

Vivemos mais felizes

A obra ‘The Science of Kissing: What Our Lips Are Telling Us’ revela um outro estudo realizado nos anos 80, na Alemanha, que mostra que  os homens que beijam as suas mulheres antes de irem trabalhar vivem, em média, mais cinco anos e ganham 20 a 30 por cento mais dinheiro que os restantes.

Para além disso, esta investigação, feita ao longo de uma década, refere que os homens que não beijam as suas mulheres de manhã têm uma probabilidade 50 por cento maior de sofrer um acidente de carro.

Claro que não é o beijo em si que traz todas estas benesses, mas sim o que advém deste: As pessoas que começam o dia  com esta pequena acção encaram o resto com uma atitude mais positiva, o que leva a um estilo de vida (e uma mente) mais saudável.

Porque é que nos beijamos?

Para além de nos ajudar a viver mais felizes, existem muito estudos que apontam uma razão muito simples para o facto de nos beijarmos uns aos outros: Esta acção ajuda-nos a descobrir o parceiro ideal. De acordo com a mesma obra, a troca de cheiros, o contacto físico e a própria postura durante um beijo diz-nos muito (mesmo que de forma inconsciente) sobre quem está à nossa frente. Assim, o toque dos lábios pode ‘direccionar-nos’ e ajudar-nos a tomar uma decisão em relação ao outro.

No entanto, ainda de acordo com a obra, este parâmetro diz mais às mulheres do que aos homens: Elas dão mais atenção a uns dentes limpos e a um bom hálito do que eles, que ligam à cara e ao corpo delas.

Chegamos à conclusão de que beijar faz bem à saúde, dá-nos mais vida e pensamentos positivos. Por isso já sabe, comece um dia com um beijo e vai ver que (de acordo com a ciência) tudo vai correr melhor.

joana.alves@sol.pt