Tecnologia

Oporto Insight, o lado B da Invicta

Foi debaixo da Ponte D. Luís, um dos pontos mais emblemáticos da cidade do Porto, que decorreu o encontro entre o SOL e Marta Castelo e Paulo Ranito, os mentores deste projecto. “Até 1943 pagava-se uma espécie de portagem para passar esta ponte. Usava-se uma moeda tipo ficha, que começou a ser utilizada nas lojas do Porto, o que não foi do agrado do Ministério das Finanças da altura, que quis proibir este hábito”, conta-nos a dupla, que passou os últimos três anos a investigar para os conteúdos do Oporto Insight. Mas esta é apenas uma das muitas curiosidades que podem ser encontradas nesta aplicação, disponível para Android e iOS e cujo download é gratuito.

A ideia surgiu em 2010, quando o casal portuense vivia em Dublin e foi surpreendido pela forma como os irlandeses exploravam o potencial turístico da sua cidade. “Questionámo-nos por que é que o Porto era tão discreto em termos de turismo internacional, tendo tanta coisa para oferecer. Começámos a maturar uma ideia que ajudasse a colocar o Porto no mapa, que acabou por nascer neste formato digital”, explica Paulo. O objectivo era simples: mostrar ao mundo o que faz do Porto uma cidade peculiar e com alma. Os três anos de emigração e a eterna saudade do país deram o empurrão final para a materialização da ideia. “Tal como acontece com muita gente, só começamos a dar valor a certas coisas, quando sentimos a falta delas. Vivemos no Porto toda a nossa vida e foi preciso ter saído de cá para ter um outro olhar sobre a cidade”, diz Marta.

Para além dos habituais pontos turísticos, a aplicação apresenta curiosidades e roteiros surpreendentes, muito particulares na cidade como o Roteiro das Camélias, o Roteiro Judaico ou os roteiros relacionados com a literatura (dos escritores Camilo Castelo Branco e Almeida Garrett, entre outros), que já atraem um tipo de turista muito específico. “A Câmara Municipal do Porto cedeu-nos a base de dados dos pontos de interesse, mas depois fomos à procura de curiosidades, histórias e segredos através das pessoas que trabalham nos locais ou que vivem por perto. Houve também muita pesquisa em bibliotecas e jornais. Mas o mais importante era falar com as pessoas”, refere Paulo. “Nós, que vivemos aqui toda a nossa vida, descobrimos dados e personagens surpreendentes”, acrescenta. 

Outra das particularidades são os roteiros VIPs, que contam com o testemunho de algumas personalidades ligadas ao Porto. Vítor Baía, Siza Vieira, Hélio Loureiro, Richard Zimler, Manuel Serrão, Antero Braga e Hélder Pacheco dão a conhecer a sua opinião sobre o Porto e mostram a cidade pelos seus olhos. “Foi surpreendente porque aceitaram o desafio e falaram da cidade com uma grande paixão”, desabafa Marta.

A aplicação, que foi lançada em Abril numa versão experimental, conta já com cerca de dez mil downloads, vindos de todo os cantos do mundo, num total de 61 países. Marta diz que “o feedback recebido nestes meses permitiu-nos melhorar algumas funcionalidades e com isso estamos preparados para lançar-nos, oficialmente, para fora de Portugal”.

Na versão 2.0 encontra-se a inclusão de novos roteiros (um deles pela mão da estilista Anabela Baldaque), um motor de busca que permite pesquisar qualquer ponto de interesse na cidade e a possibilidade de guardar a aplicação para ser usada sem necessidade de ligação à internet. “Sendo o turista estrangeiro o nosso principal utilizador, é importante que possa usar a aplicação, sem ter de recorrer ao roaming”, alega Paulo. 

O próximo passo é angariar patrocinadores que possibilitem o crescimento do Oporto Insight, e que permitam levar ao mundo o outro lado da cidade: “Há tesouros incalculáveis na cidade do Porto para mostrar, do ponto de vista material e humano. Alguns estão escondidos por falta de meios e outros por falta de divulgação”, continua o casal, consciente do longo percurso de descoberta que tem pela frente. “Mesmo para nós e para outros habitantes locais esta aplicação tem excelentes revelações, porque mostra coisas que ninguém conhece”.