Sociedade

Vídeo pode ajudar a capturar homicida do Cais do Sodré

As imagens de videovigilância do bar do Cais do Sodré, Lisboa, onde se encontrava Diogo Andrade e Sousa – o arquitecto de 28 anos que foi assassinado após ter defendido uma rapariga - já estão nas mãos da Polícia Judiciária, que montou uma “caça ao homem”, avança o Correio da Manhã.


De acordo com a mesma publicação, este vídeo poderá ser determinante para a investigação, já que as imagens da madrugada da terça-feira passada são bastante nítidas e confirmam exactamente o que várias testemunhas descreveram às autoridades. 

Segundo o CM, homicida e cúmplices fugiram num carro após terem esfaqueado Diogo Andrade e Sousa no tórax, pescoço, abdómen e costas. O jovem arquitecto terá ficado 15 minutos no chão em paragem cardiorrespiratória. Esteve mais de uma semana internado no hospital de São José, mas acabou por morrer anteontem.