Sociedade

Apreendidos artigos furtados em centros comerciais no valor de 30 mil euros

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão de Oeiras, apreendeu hoje diversos artigos furtados em centros comerciais por um grupo de três pessoas, num valor total estimado em cerca de 30 mil euros.


Segundo fonte da PSP, esta apreensão é resultado de "uma investigação, a decorrer há algum tempo, sobre este tipo de furtos em estabelecimentos de grandes superfícies comerciais", em toda a área metropolitana de Lisboa e zona centro do país.

No âmbito da investigação, a PSP informou em comunicado que deu hoje "cumprimento a vários mandados de busca domiciliária e apreensão, nos concelhos de Oeiras e Amadora", dos quais resultou a identificação de um grupo de três pessoas, "um homem de 20 anos, e duas mulheres de 20 e 34 anos".

Entre os artigos furtados, a polícia salientou as "peças de vestuário e calçado de marca, que chegam a custar mais de 100 euros".

Fonte policial referiu ainda que esta operação surge após "o furto num estabelecimento comercial na Rua da Quinta do Paizinho, em Oeiras", no dia 8 de Julho, que originou ferimentos num funcionário.

O grupo identificado pela PSP "era por vezes reforçado por outros suspeitos, dependendo da estratégia adoptada e da localização geográfica, actuando preferencialmente em grandes superfícies comerciais e sobre lojas de referência".

Durante a prática dos furtos, os suspeitos não se inibiam de "usar violência contra os funcionários das lojas", que se apercebessem da prática dos ilícitos e tentassem impedir.

Para realizar os furtos, o grupo usava "diversos métodos com que ludibriavam os sistemas de detecção e segurança dos estabelecimentos", afirmou fonte policial.

Os produtos furtados eram artigos de fácil revenda no mercado paralelo, tendo a polícia conseguido recuperar "inúmeras peças de vestuário, acessórios, bijuterias, artigos de puericultura e higiene e pequenos electrodomésticos, cujo valor total se estima em cerca de 30.000 euros".

Segundo o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, a investigação em torno do furto em centros comerciais e relacionada com os ilícitos detectados irá prosseguir.

Lusa/SOL

Os comentários estão desactivados.