Sociedade

Indemnizações no Face Oculta atingem 1,2 milhões de euros

Os principais arguidos do Face Oculta vão ter de pagar 1,2 milhões de euros de indemnização às empresas lesadas no esquema de corrupção e tráfico de influências montado por Manuel Godinho para garantir contratos para as suas empresas de sucata.

Os juízes do Tribunal de Aveiro determinaram hoje que estas verbas devem ser pagas solidariamente por vários dos condenados, mas é o sucateiro de Esmoriz que mais terá de desembolsar.

Só à Petrogal deverão ser entregues 640 mil euros por Manuel Godinho, o seu sobrinho Hugo, pela empresa por eles gerida, a O2, e por João Tavares, que era funcionário da empresa petrolífera e estava envolvido no esquema de corrupção e tráfico de influências.

A Refer – Rede Ferroviária Nacional – terá direito a receber mais de 523 mil euros, acrescidos de juros de mora de 4% de indemnização e a REN 55.527 euros, acrescidos de juros de mora desde 2009.

Além destas indemnizações os arguidos condenados no processo Face Oculta vão ter ainda de pagar quase 500 mil euros de multas. Quase todos os arguidos com pena suspensa foram condenados a pagar multas que serão entregues a instituições de solidariedade social, num total de 248 mil euros.

E as duas empresas geridas por Manuel Godinho (a SCI e a O2), que foram condenadas pelo tribunal por burla e corrupção terão de entregar ao Estado, 242.500 euros a título de multa.

joana.f.costa@sol.pt