Internacional

Jornalista identifica autor do atentado de Bruxelas como seu raptor

Um jornalista francês, capturado por militantes do Estado Islâmico (EI), identificou um dos seus raptores como sendo o francês suspeito de ter assassinado quatro pessoas à porta do museu judaico em Bruxelas, em Maio de 2014.

Nicolas Henin foi mantido refém entre Julho e Dezembro de 2013 na Síria e diz que se lembra de Mehdi Nemmouche, em particular do seu gosto sádico em torturar prisioneiros.

Henin reocrda-se de ser espancado por Nemmouche e deste lhe dizer: “Vês estas luvas? Comprei-as de propósito para ti, para te dar muros na cara. Gostaste delas?”

O jornalista francês, que foi libertado em Abril deste ano juntamente com outros jornalistas franceses, esteve detido durante algum tempo com James Foley e Steven Sotloff, os jornalistas norte-americanos decapitados pelo EI.

Henin referiu que Foley sofreu bastante nas mãos dos sequestradores devido à sua nacionalidade mas que sempre manteve a coragem e a dignidade.

Nemmouche foi detido em França pouco tempo depois dos atentados em Bruxelas. As autoridades francesas estimam que cerca de 900 cidadãos estejam ligados a acções ‘jihadistas’ na Síria.