Desporto

Cilic, levantado do chão

Um ano depois do doping, um Grand Slam. Marin Cilic (16.º do ranking) chegou à final do US Open depois de eliminar Roger Federer e não deu hipóteses a Kei Nishikori (11.º). Atropelou o japonês e sagrou-se campeão do último Grand Slam da temporada com um triunfo sem mácula, com um triplo 6-3, em 1h50.

Para a história fica o primeiro título do Grand Slam conquistado pelo croata. É o primeiro Major da carreira de Cilic, que assim iguala o seu técnico, Goran Ivanisevic, que tinha sido até aqui o único croata a conquistar um Grand Slam, quando em 2001, depois de tere recebido um wildcard, ter ganho em Wimbledon.

As boas notícias para Cilic não acabam aqui.

O triunfo em Nova Iorque fê-lo dar um pulo no ranking, subindo ao nono posto, igualando a sua melhor posição, quando em 2010 estacionou ali durante seis semanas.

Cilic é uma espécie de Fénix. Regressou em grande etilo depois de há um ano ter sido apanhado num escândalo de doping – foi denunciado pelo uso de niquetamida, um estimulante respiratório e circulatório, chegando a ser suspenso nove meses pela Federação Internacional de Ténis (ITF). O croata recorreu do castigo e viu a pena reduzida para quatro meses, voltando à competição ainda no final da última temporada.

SOL