Sociedade

O sofrimento da mãe de um jihadista português

Fábio Ricardo Poças, de 22 aos, tinha uma vida pacata em Mem Martins, Sintra. A certa altura decidiu ir para Londres estudar arquitectura, mas acabou por abandonar os estudos. Sozinho e sem dinheiro, decidiu dedicar-se às artes marciais. Foi no ringue que encontrou novos amigos – todos convertidos ao Islão há mais de uma década.


Este jovem é agora um dos 12 jihadistas portugueses que pertencem ao Estado Islâmico. Chama-se agora Abdu Rahman e encontra-se actualmente na Síria. Casou com uma outra jovem portuguesa que também decidiu juntar-se ao grupo terrorista. Ângela conheceu Fábio na internet, ficou noiva, largou a Holanda (onde vivia) e as suas raízes no Alentejo e chegou apenas há uns meses à Síria, onde diz ser muito feliz.

A mãe de Fábio, Fátima, nunca mais viu o filho, nem falou com ele. “Quero-o de volta. Vagueio toda a noite, sem dormir, à procura de uma resposta”, disse ao Correio da Manhã. 

Tanto a mãe como os irmãos tentam comunicar com Fábio através do Facebook, mas não obtêm qualquer resposta. De acordo com o CM, o jovem utiliza esta rede social, mas já abdicou por completo do uso do português e escreve num inglês fluente, partilhando os ideais islâmicos na internet.

Fátima não aguentou o desgosto e decidiu abandonar o concelho de Sintra e emigrar, lê-se na mesma publicação. Sabe que o filho “continua vivo” e não perde a esperança de o encontrar. No entanto, o medo de que o contacto entre ambos possa trazer problemas a Fábio é tanto que não consegue sair de um estado de sofrimento constante. “Cada minuto que passa é um minuto a menos na minha vida”, desabafou.