Cultura

Ciência explica por que morreu Ricardo III

Ricardo III (1452-1485) trocaria o seu reino por um cavalo, na peça imortalizada por Shakespeare. Um retrato em que o dramaturgo inglês não poupou o monarca, ficando para sempre com a imagem de um tirano sanguinário (e também corcunda). Agora, a ciência, depois de descobertos os seus restos mortais num parque de estacionamento em 2012, veio explicar como morreu.

O último rei de Inglaterra a morrer numa batalha no final do século XV sucumbiu aos múltiplos ferimentos causados pelos seus inimigos, que perfuraram o seu crânio quando este estava caído e já sem o elmo, que havia perdido durante o combate – a batalha de Bosworth (22 de Agosto de 1485) –, sugere um estudo científico publicado nesta quarta-feira na revista The Lancet.

Investigadores da Universidade de Leicester detectaram 11 ferimentos, nove deles no crânio, que foram causados pouco antes da sua morte, numa análise aos ossos do monarca. Os golpes foram feitos com espadas, facas e punhais.

O esqueleto também apresentava uma grande ferida na pélvis, que terá sido feita após a sua morte.

"Os ferimentos que apresenta mostram que sofreu um ataque de várias pessoas, com armas próprias do fim da Idade Média", descreveu Sarah Hainsworh, uma das autoras da investigação. Que diz também que o monarca terá perdido o elmo durante a luta.

A foto divulgada pela Universidade esta quarta-feira          AP

“As lesões no crânio levam-nos a crer que ele não usava elmo, ou porque o perdeu ou porque a protecção foi retirada à força”, diz.

Para a patologista Guy Rutty, as “duas lesões que supostamente causaram a morte do rei são as localizadas na base do crânio”. O que sustenta os relatos da época, segundo estes Ricardo III, preso num lamaçal, teria abandonado o seu cavalo antes de ser morto pelos seus inimigos – e ficado de joelhos com a base do crânio exposto.

SOL