Internacional

Apoiante do ‘Sim’: "Murray devia ter morrido no massacre de Dunblane"

O tenista Andy Murray, nascido na Escócia, tem sido alvo de ataques, alguns muito agressivos, nas redes sociais por ter manifestado o seu apoio ao ‘Sim’ no referendo da Escócia, posição que saiu derrotada nas urnas.


Um homem identificado como Harry S. classificou-o de “antibritânico” e foi mais longe ao afirmar num comentário que desejava que o atleta, campeão olímpico pelo Reino Unido, tivesse morrido no massacre de Dunblane.

Em 1996 um homem entrou na escola que Murray frequentava tendo matado 16 crianças e um professor.

Em causa estava a frase do tenista escocês, publicada na sua conta do Twitter: "Hoje é um grande dia para a Escócia! Nos últimos dias, o negativismo da campanha do 'Não' mudou totalmente a minha visão sobre o assunto. Animado para ver o resultado. Vamos chegar lá!".

Apesar de ter tornado pública a sua prefêcia pelo 'Sim', Murray era um dos milhares de escoceses que não podia votar por morar em Inglaterra.

Note-se que a posição pela independência da Escócia acabou derrotada nas urnas, com 55% dos eleitores a optar pela não independência do Reino Unido. 

SOL

Os comentários estão desactivados.