Desporto

Fernando Santos telefonou e os quatro mosqueteiros renegados estão de volta

O novo seleccionador diz que telefonou aos jogadores afastados pelo anterior técnico no cargo. E assim voltaram os quatro mosqueteiros renegados. 


Fernando Santos ligou a vários proscritos da era Paulo Bento e ficou esclarecido quanto ao compromisso que têm com a Selecção nacional. Não hesitou em chamá-los para o importante jogo na Dinamarca - independentemente da idade, como já tinha prometido.

Ricardo Carvalho, Tiago, Danny e Quaresma estão de volta. 

O que ganhará a Selecção? Qualidade. O que poderá perder? Coesão. Mas já não sobrava assim tanta, com o rumo dos últimos acontecimentos.

É um novo ciclo que se abre e tem toda a lógica começar de novo. Fernando Santos tem esse direito. Os quatro mosqueteiros renegados por Bento também.

Caso a caso:

Ricardo Carvalho

Errou ao abandonar um estágio por saber que iria ser suplente. Desrespeitou o seleccionador e acima de tudo os companheiros. Há quem diga que também desrespeitou o país, mas convém não exagerar. Numa equipa lida-se com pessoas e num momento de descontrolo são elas que impulsionam a forma de alguém agir.

Cumpriu o seu castigo - um ano de ausência imposto pela Federação -, reconheceu publicamente que se precipitou e quer representar Portugal aos 36 anos. Podemos todos estar seguros de que não precisa da Selecção para relançar a carreira ou ganhar dinheiro. Quer estar porque tem orgulho em estar. Talvez também queira redimir-se do seu acto irreflectido. Por tudo o que deu à Selecção, merece a oportunidade. Saibam também os companheiros que pôs em causa aceitar o erro e olhar em frente.

Tiago

Renunciou à Selecção para dar o lugar aos mais novos. Foi o que alegou na época, com base nas opções que Paulo Bento estava a privilegiar. No fundo, como Carvalho, sentiu-se uma figura secundária e preferiu sair pelo seu pé de uma forma mais simpática. Agora o novo seleccionador conta com ele. E ele está disponível para voltar. Quem o pode condenar? Há jogadores que ao atingirem determinado estatuto não têm feitio para serem apenas ‘mais um’.

É outro que já não precisa da Selecção para nada. A Selecção é que precisa - e muito – dele. De preferência na versão Atlético de Madrid, batalhador a defender e cirúrgico com a bola nos pés.

Danny

Ninguém sabe ao certo se simulou lesões ou não, como desconfiou Paulo Bento. Se o fez é grave. Mais valia seguir o exemplo de Tiago e renunciar. Por isso custa a acreditar. Acaba por ser irrelevante com a entrada de um novo seleccionador. É mais uma escolha natural de Fernando Santos, embora ainda esteja por mostrar na Selecção um pouco do costuma fazer no Zenit.

Quaresma

Não estando em causa o talento, que é muito, Fernando Santos acredita que pode tirar o melhor dele. É esse o segredo para o êxito deste regresso, sendo certo que poucos foram os treinadores que conseguiram que o lado bom de Quaresma prevalecesse sobre o mau. Mas, até pela escassez de alternativas, vale bem a pena tentar mais uma vez.

rui.antunes@sol.pt