Politica

Maioria dá caso Tecnoforma por encerrado

O PSD e o CDS consideram o caso Tecnoforma “encerrado”, depois das explicações que o primeiro-ministro deu no último debate quinzenal, na Assembleia da República. E a não ser que surja algum dado novo “bastante complicado”, na maioria confia-se que as notícias que continuam a sair diariamente não vão provocar um desgaste significativo a  Passos Coelho. Pelo menos, nunca ao ponto de colocar em causa o mandato do Governo até ao final da legislatura.

“É evidente que este tipo de situação não é bom para ninguém. Por mais respostas que se dê, fica sempre uma insinuação no ar. Mas a verdade é que a montanha pariu um rato”, resume um membro da direcção de Passos.

Mas ninguém no PSD nem no CDS quer falar do assunto. As ordens superiores são mesmo nesse sentido: nada de declarações, nem em off, para não alimentar a polémica.

Sem dar a cara, há quem admita, porém, que se aparecer algum dado novo isso poderá começar a abrir caminho a uma disputa pela sucessão de Passos no PSD. “Se sair mais alguma coisa que comprometa Passos Coelho e com António Costa recém-eleito, é natural que comecem a surgir movimentações”, antevê um social-democrata, que está ainda à espera de perceber que impacto poderão ter também as investigações sobre o chamado 'Gaiagate' - que envolve nomes como Luís Filipe Menezes, Marco António Costa e Agostinho Branquinho.

Se estas polémicas começarem a afectar a imagem de Passos, “é possível que Rui Rio tenha uma oportunidade para avançar”, admite a mesma fonte.

margarida.davim@sol.pt

sofia.rainho@sol.pt