Internacional

Papa Francisco recomenda atenção aos sinais do tempo

O papa Francisco recomendou hoje que se oiçam "os sinais deste tempo" e que se percebam "os odores dos homens de hoje", para que, desse modo, se possa recomendar, com credibilidade, "a boa notícia sobre a família".


"Para encontrar o que o Senhor pede à sua Igreja, devemos escutar os sinais deste tempo e perceber os odores dos homens de hoje, para nos impregnarmos das suas alegrias e das suas esperanças, das suas tristezas e angústias. Nesse momento, saberemos recomendar com credibilidade a boa notícia da família", afirmou o pontífice argentino citado pela agência noticiosa EFE.

Além disso, o papa afirmou que a família continua a ser "uma escola sem igual na humanidade" e uma contribuição indispensável para "uma sociedade justa e solidária".

O papa Francisco falava durante a vigília de oração organizada pela Conferência Episcopal Italiana (CEI) na praça São Pedro, na Cidade do Vaticano, que antecedeu a assembleia extraordinária do Sínodo dos Bispos.

Debater os desafios pastorais da família, no quadro da evangelização, e analisar a doutrina da Igreja Católica no contexto actual são algumas das linhas principais do debate na assembleia extraordinária do Sínodo dos Bispos, que teve início hoje.

Sobre o Sínodo, o papa invocou o Espírito Santo para que conceda aos padres sinodais o "dom da escuta", do debate e da visão.

Da escuta para poder sentir "o grito do povo", do debate "sincero, aberto e fraterno" para afrontar com responsabilidade aqueles que se interrogam que esta "mudança de época traz consigo" e da visão para não afastar a vista de Jesus, requisito 'sine qua non' para afrontar dos tempos modernos.

"Com a audição e o debate sobre a família, teremos uma ocasião oportuna para renovar a igreja e a sociedade. Uma igreja reconciliada e misericordiosa, pobre e amiga dos pobres, capaz de vencer com paciência e amor as aflições que recebe tanto de dentro, como de exterior", disse.

O papa Francisco presidiu a missa solene de inauguração do sínodo, que contou com a participação de 253 pessoas.

O sínodo acaba a 19 de Outubro com a beatificação do papa Paulo VI, que, além de concluir o decisivo Concilio Vaticano II, instituiu o sínodo dos bispos.

Lusa/SOL

Os comentários estão desactivados.