Politica

'Seguro não ia para a sexta fila depois de ser líder', diz Beleza

Álvaro Beleza "respeita" e "apoia" a decisão de António José Seguro em sair do Parlamento. "É a atitude digna de um homem de honra. Não ia agora para a sexta fila do Parlamento depois de ter sido líder do PS. Isso não fazia sentido", diz o dirigente socialista ao SOL. "Todos temos de respeitar a sua vontade", afirma Beleza.

Seguro mostra "que não vive da política", mas a sua renúncia ao cargo de deputado está longe de pôr um ponto final na sua intervenção na vida pública. "Tenho a certeza que ainda estarei ao lado dele na vida política e em muitos combates que teremos pela frente", diz o ainda membro do secretariado do PS, que depois das primárias chegou a acordo com António Costa para a representação dos seguristas nos órgãos do PS.

A saída de secretário-geral e do cargo de deputado "não são o fim da carreira política de António José Seguro, defende Beleza. "É o princípio de outra fase, que vai para além de ocupar cargos no partido". O dirigente do PS lembra que "Seguro tem a idade que Mário Soares tinha quando chegou a Portugal, no 25 de Abril".

A renúncia de António José Seguro do lugar de deputado, pelo círculo de Braga, foi hoje conhecida. O até agora líder do PS vai dar aulas numa universidade.

manuel.a.magalhaes@sol.pt