Desporto

Platini sugere cartão branco ao treinador e duas substituições ao intervalo

Um total de cinco substituições e uma suspensão por dez minutos a quem protestar uma decisão do árbitro a partir do banco de suplentes. Estas são duas ideias para novas regras defendidas por Michel Platini no livro Parlons Football, hoje colocado à venda. 

O presidente da UEFA afasta o argumento das paragens no jogo que implicariam mais substituições ao explicar que as duas novas, a acrescentar às três já permitidas, só poderiam ser realizadas ao intervalo. Dessa forma, como sublinha, os treinadores poderiam beneficiar de uma nova arma estratégica e tirar maior partido do plantel às suas ordens.

Já a suspensão por 10 minutos seria uma nova forma de castigar os elementos do banco de suplentes que contestem as decisões dos árbitros. Além do amarelo e do vermelho, os homens do apito teriam também um cartão branco para exibir nesses casos, que por norma envolvem os treinadores. Na situação actual, o árbitro só pode escolher entre o aviso e a expulsão perante comportamentos incorrectos de jogadores suplentes ou da equipa técnica.

Na sua senda reformadora, Platini quer ainda despenalizar os jogadores que, sendo a última barreira defensiva, travam um jogador isolado dentro da área. Como a equipa que defende já é penalizada com um penálti contra, o francês entende que quem fez a faltar deve ser punido apenas com o cartão amarelo – e não o vermelho, como agora acontece. Pelo contrário, quando a falta é cometida fora da área e dá lugar a um livre directo – e não a penálti -, Platini considera que o infractor deve continuar a receber ordem de expulsão. 

rui.antunes@sol.pt