Economia

“Sector dos transportes precisa de sustentabilidade”

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, sublinhou que é necessário “dar sustentabilidade ao sector dos transportes”. E uma das soluções passa “pela implementação de sistemas inteligentes”.

Sergio Silva Monteiro Foto: Miguel Silva/SOL
Manuel Caetano Foto: Miguel Silva/SOL
Luis Filipe Pereira Foto: Miguel Silva/SOL
Jorge Paulino Pereira Foto: Miguel Silva/SOL
Augusto da Silva Tomas Foto: Miguel Silva/SOL
Foto: Miguel Silva/SOL
Manuel Caetano, Sergio Silva Monteiro e Luis Filipe Pereira Foto: Miguel Silva/SOL
Foto: Miguel Silva/SOL
Jorge Paulino Pereira, Manuel Caetano, Sergio Silva Monteiro e Luis Filipe Pereira Foto: Miguel Silva/SOL

O responsável falava na sessão de encerramento da conferência internacional dedicada ao tema Sistemas Inteligentes Aplicados à Logística e aos Transportes, organizada pela Logistel.

Sérgio Monteiro sublinhou ainda que da parte do Governo já houve manifestações para estas mudanças e, no final da conferência da qual o SOL é media partner, deixou ainda três desafios a todos os intervenientes do sector.

“O primeiro desafio que temos pela frente é pôr todos os stakeholders de acordo com que informações podem ser partilhadas”.

Outro foi dirigido aos reguladores: “é necessário assegurar o acesso à informação. E aqui os reguladores vão passar a ter um papel central”, acrescentou.

Por último, o governante apelou aos vários portugueses em cargos relevantes relacionados com o sector dos transportes e logística para ajudarem a contribuir para o desenvolvimento desta área em Portugal.

“O sector dos transportes só continuará a ser acarinhado se continuar a acrescentar valor de competitividade à nossa economia”, sublinhou.

O presidente da Logistel, Manuel Ferreira Caetano, fez um balanço muito positivo da conferência e destacou ainda o exemplo de Angola. “O que se está a passar em Angola é uma verdadeira revolução tranquila na área dos transportes e logística”.

Opinião partilhada pelo ministro dos Transportes angolano, Augusto da Silva Tomás, que marcou presença no evento através de videoconferência.

O responsável angolano sublinhou ainda que “um dos estímulos para os investidores passa pela construção de uma rede nacional de plataformas logísticas associada a uma rede de transportes”. Objectivo que o Executivo de Angola está empenhado em cumprir, acrescentou.

A conferência decorreu de segunda a quarta-feira no Hotel Cascais Miragem e contou com mais de 200 participantes de vários países. 

sara.ribeiro@sol.pt